CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

CBDA

06/02/2017 15:29:10

A união Correios e esportes aquáticos promove transformações sociais


Correios

Foto: CBDA/Divulgação A união Correios e esportes aquáticos promove transformações sociais
06/02/2017 15:29:10

Rio de Janeiro/RJ – Entre as tantas vitórias, medalhas e histórias que a parceria CBDA – Correios ajudaram a construir, nestas quase três décadas de união, algumas ainda não foram contadas, e não por serem menos relevantes. Com a certeza que o esporte é um meio de transformação social os projetos voltados para a sociedade sempre foram parte importante dos contratos.

Hoje a CBDA, com o apoio dos Correios, viabiliza três projetos sociais voltados para a formação de novos talentos, em duas modalidades. As cidades mineiras de Barbacena e Montes Claros, juntas, acolhem mais de 700 novos nadadores. No Distrito Federal, mais de cinquentas crianças, matriculadas em escolas públicas da região, aperfeiçoam as técnicas dos Saltos Ornamentais, tendo também a assistência da Universidade de Brasília, no projeto Saltando para o Futuro.

 O Campeonato Nacional dos Correios é mais um evento vitorioso. Realizado pela CBDA, a competição é voltada 100% para os funcionários dos Correios e seus familiares, teve início em 1991, juntamente com o primeiro contrato de patrocínio oficial.  Com mais de 20 anos de projeto, centenas de pessoas tiveram a oportunidade de conhecer e ingressar no mundo dos esportes aquáticos. Um dos principais destaques deste projeto é o nadador que participou dos Jogos Rio 2016 e campeão dos Jogos Olímpicos da Juventude 2014, Matheus Santana. Filho de funcionária dos Correios, Matheus participou do seu primeiro campeonato na empresa ainda com 10 anos de idade.

Mas o projeto não é vitorioso somente por formar atletas.  A ideia é ainda maior, como demonstra a história de Emerson Rosa, carteiro há 20 anos, atleta do Campeonato dos Correios há 19 e professor de educação física, especialista em natação há três anos. “A natação mudou minha vida. Comecei a praticar por recomendação médica e logo depois vi o cartaz na minha sessão nos correios ‘Campeonato Nacional de Natação’, me inscrevi e fui atrás. Vim de uma base humilde e a natação e os Correios mudaram meu padrão social e qualidade de vida, além de abrir um novo universo de trabalho.”


Matheus Santana e Emerson Rosa

- Logo na minha primeira competição fui 1º colocado, com 32 segundos. Foi o suficiente, me apaixonei pelo esporte e ainda mais pela empresa. Não perdia mais nenhum treino, queria ir para todas as competições. Associei-me a Natação da Gama Filho e fui melhorando minha técnica e evoluindo – comentou Emerson, 41 anos, que com um problema no joelho, ocasionado pelo serviço pesado, procurou a natação como forma de tratamento e condicionamento físico.

O projeto consistia em três fases. A fase inicial – Regional – está mantida e  envolve em média três mil nadadores, entre funcionários e dependentes. Tinham ainda a fase nacional, com 200 atletas classificados, em que as provas eram disputadas entre os oito melhores tempos do Brasil. E a Clínica Internacional, em que os melhores índices técnicos eram convocados e participavam de uma viagem com o intuito de especialização das técnicas de natação.

- Na primeira vez que fui para uma clinica internacional, em 2003, em Fort Lauderdale (EUA), tive a certeza que eu queria trabalhar com a natação e me aprofundar mais nesse universo. Participei de quatro clínicas internacionais (a segunda no Chile e as seguintes também nos Estados Unidos, sendo a última já com curso superior). Sempre treinei muito para participar e depois que consegui não queria ficar de fora. Em 2004 comecei a faculdade de educação física quando minha esposa estava grávida. Em 2013 me formei, depois de um período com a matrícula trancada, pois o muro de minha casa caiu. E como nada foi fácil pra mim, tive que fazer minhas duas últimas matérias em outra faculdade, a Estácio, quando a Gama Filho fechou as portas. Hoje sou professor da natação e trabalho com dois projetos aquáticos, no Rio de Janeiro: num polo de natação do Fluminense e com um projeto de maratonas aquáticas no Recreio – explicou Emerson.

Com ascensão na empresa e nos esportes aquáticos, Emerson integrou a equipe de triatlo da empresa, com mais dois colegas, com cada um numa das modalidades (Emerson era o responsável pela natação). Juntos foram bicampeões do Troféu Brasil. Em 2010, Emerson foi convidado a integrar o núcleo de esporte dos Correios e conseguiu aumentar em 40% a participação dos funcionários cariocas na fase regional do projeto aquático.


Emerson Rosa - Clínica Internacional em Jacksonville

- Os Correios sempre me apoiaram. Essas competições nos valorizam mais como funcionários e como atletas.  Além de nos ajudar com o condicionamento físico para as competições e nosso dia-a-dia no trabalho. Sinto-me bem melhor quando treino, pois sempre rendemos mais assim. Dentro dos campeonatos e das clínicas nós interagimos com atletas e profissionais renomados e isto é muito engrandecedor – completou Emerson, hexacampeão do Campeonato dos Correio, e que não quer parar por aqui . Agora busca participar do curso da ASCA (American Swimming Coaches Association), além de continuar sua participação no campeonato da empresa.


Eliana Alves / Souza Santos / Mariana de Sá