CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

CBDA

12/06/2018 10:38:07

Com inovações, títulos internacionais e crianças na água, nova gestão da CBDA completa um ano


Gestão Miguel Carlos Cagnoni completa um ano à frente da CBDA

Foto: CBDA/Divulgação Com inovações, títulos internacionais e crianças na água, nova gestão da CBDA completa um ano
12/06/2018 10:38:07

(Rio de Janeiro, 12 de junho de 2018) A nova gestão da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos completa, nesta terça-feira (12), um ano à frente da entidade. Nestes 365 dias, podemos celebrar o início de uma nova era para os desportos aquáticos do Brasil, com inovação, transparência, ampliação, valorização das categorias de base, além de aumentar o protagonismo internacional do Brasil.

Há um ano, após um período em que a CBDA teve uma intervenção judicial, Miguel Cagnoni venceu sua primeira eleição para comandar a entidade por quatro anos e iniciou seu trabalho à frente da Confederação. O ex-presidente da Federação Aquática Paulista encontrou um cenário muito bagunçado e teve como seu primeiro desafio organizar a casa para tentar a liberação de verbas importantes que ainda estão presas devido a falta de prestação de contas deixada pela antiga gestão.

Aliado a isso, viu-se diante de outro grande imbróglio administrativo: o reconhecimento de sua gestão pela FINA, o que só veio a acontecer em fevereiro de 2018. Neste meio-tempo, coube à diretoria da CBDA lutar para que a Federação Internacional de Natação reconhecesse a eleição e que isso não prejudicasse os atletas do Brasil.

Os atletas merecem um pedaço especial neste um ano de gestão. Das categorias de base aos atletas da seleção brasileira, todos estão de parabéns. Pouco mais de um mês depois da primeira eleição, foi realizado o Campeonato Mundial de Desportos Aquáticos em Budapeste, e os resultados mostraram que uma nova era estava por vir dentro e fora d’água. Fora sim, pois a nova gestão da CBDA abriu um espaço dentro da entidade para os atletas se reunirem, cobrarem resultados e viverem o dia-a-dia da Confederação. O espaço foi chamado de Sala dos Atletas.

Em Budapeste, foram, ao todo, oito medalhas conquistadas, sendo uma delas a primeira medalha de ouro da história da natação feminina com Etiene Medeiros. A medalha de prata animadora do revezamento 4x100m livre, além da grande Ana Marcela Cunha, primeira tricampeã Mundial das Maratonas Aquáticas.

Nas categorias de base, uma das promessas de campanha de Miguel Carlos Cagnoni era ter “criança na água”. Isso pôde ser comprovado nestes primeiros seis meses de 2018 com os recordes de inscrições nos Brasileiros Infantil, Juvenil e Júnior, o surpreendente número de inscritos na etapa de Fortaleza do Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas, além do significativo número de equipes inscritas no Campeonato Brasileiro sub-13 de Pólo Aquático.


Também em 2018, tivemos o retorno do emblemático e histórico Troféu Brasil de Natação. Nele, grandes tempos e a formação de três seleções brasileiras para a temporada. Na principal delas, a que representará o país no Pan-Pacífico, a mescla da nova geração com atletas que já fixaram seus nomes na história da Natação do Brasil.

Na missão de criar uma nova era na CBDA, a entidade decidiu criar uma nova logomarca para a Confederação. Nela, segundo o criador, juntam-se os principais e mais significativos elementos das cinco modalidades para representar a união de todos em prol do desporto aquático do Brasil.

O principal objetivo da CBDA é, diariamente, lutar para que haja condições financeiras para que o esporte do Brasil tenha a estrutura necessária para que nossas seleções brilhem nos campeonatos internacionais, além de revelar novos talentos, ter crianças na água e propagar os cinco esportes.

Para isso, ainda dentro do planejamento inicial da gestão Miguel Carlos Cagnoni, foi criado o Comitê de Governança, que preza pela transparência e medidas que agem de acordo com o mercado atual. Em maio deste ano, inclusive, foi realizado um Painel de Governança, onde foram expostas as primeiras ações deste comitê.

A nova gestão da CBDA não tem dúvidas da força dos nossos esportes no Brasil. Um exemplo disso é a exposição dos nossos atletas e suas conquistas na mídia. Diariamente, televisões, sites, jornais e rádios recebem tudo o que o Departamento de Comunicação da CBDA produz com o intuito de divulgar as cinco modalidades. Em um estudo recente divulgado pelo IBGE, a página da CBDA no Facebook ficou em segundo lugar nas mais acessadas do Brasil, ficando atrás apenas do Comitê Olímpico do Brasil.

O objetivo da nova gestão da CBDA é melhorar sempre, contando com apoio dos atletas, pais, clubes e federações. A gestão completa um ano à frente da entidade ainda mais motivada a fazer história no esporte do Brasil.


Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA)

Fundada como Confederação Brasileira de Natação (CBN), em 21 de outubro de 1977, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos completou 40 anos de fundação, em 2017. Atualmente, o presidente da CBDA é Miguel Cagnoni.

A nomenclatura foi mudada em 1988 para adequação, já que a CBDA administra cinco modalidades: natação, maratona aquática, pólo aquático, saltos ornamentais e nado sincronizado. A CBDA, atualmente, tem todos os 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal, como federações filiadas.

O Correios, patrocinador oficial da entidade, é parceiro da Confederação desde 1991 e é parte de todas as medalhas e formação de novos atletas nas cinco modalidades.


Departamento de Comunicação - CBDA