CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Natação

09/08/2008 00:00:00

Bom começo. uma final, uma semi e três recordes sulas


Pequim /Chi –  A natação brasileira teve uma boa estréia no primeiro dia de eliminatórias, neste sábado, 9/08. Thiago Pereira (...)

Pequim /Chi -  A natação brasileira teve uma boa estréia no primeiro dia de eliminatórias, neste sábado, 9/08. Thiago Pereira passou à final dos 400m medley, Gabriella Silva cravou 58 segundos e “detonou” o recorde sula-americano dos 100m borboleta, e o 4x100m livre feminino teve um recorde “dois em um”. Tatiana Lemos superou o tempo do continente dos 100m livre na abertura da prova, com 55s08, e o grupo melhorou a própria marca continental, com 3m42s85. Pulando posições - Thiago Pereira teve um excelente “upgrade” nos 400m medley, em relação aos Jogos de Atenas 2004. Com 4m11s74, ele conseguiu o oitavo tempo do grupo seleto de finalistas da prova. Há quatro anos, Thiago ficou em 17º lugar, com 4m22s06. O resultado do brasileiro na estréia olímpica de 2008 foi o segundo melhor de sua carreira na prova (o primeiro é o recorde sul-americano feito no Pan Rio 2007, 4m11s14). No fim de 2007, o recorde continental de Thiago representou o 4º entre as 25 melhores performances da distância em todos os tempos. Ele também foi dono da sexta marca da temporada, 4m11s91.- Foi bom. Melhorei muito em relação a 2004. Hoje não pensei que a prova iria fechar tão forte, mas apesar de ter cansado um pouco senti que não nadei no meu limite. Acho que dá para melhorar – disse Thiago.O técnico Fernando Vanzella aprovou o desempenho do atleta: “ todas as passagens dele foram boas e ainda tem espaço para acertar muitas coisas”. Michael Phelps iniciou o seu show habitual. Só para começar venceu as eliminatórias com 4m07s82, superando o tempo que lhe deu a medalha de ouro em Atenas e o próprio recorde olímpico, 4m08s26. No ano passado, Phelps foi o responsável por três das 10 melhores tempos do ano na prova, o recorde mundial 4m06s22 e ainda 4m11s30, 4m12s01. O americano tem também as quatro melhores marcas da história dos 400m medley.Gabriella voadora -  Gabriella Silva voou sob as lindas bolhas do Cubo Aquático. Ela foi a segunda em sua série e a quinta geral nos 100m borboleta, com o excelente tempo de 58s00. Seu recorde sul-americano anterior era 58s90, feitos no Troféu Maria Lenk deste ano. - No Troféu Maria Lenk fiquei nervosa e errei muitas coisas. Desta vez não me permiti ficar nervosa. Estava muito tranqüila e feliz e isso fez toda a diferença. Agora quero mais. Quem faz 58s00 pode fazer 57 e alguma coisa, não é? Queria nadar agora para 57 segundos, mas estou contene porque fiz tudo o que podia e devia fazer. Minha preparação foi toda certinha. Também fiquei aliviada porque confirmei minha vaga no 4x100m medley. Isto estava me preocupando. Deu tudo certo – disse.Daynara de Paula estava concorrendo com Gabriella para ver quem se sairia melhor nos 100m borboleta e iria integrar o 4x100m medley junto com Tatiana Lemos (livre), Fabíola Molina (costas) e Tatiane Sakemi (peito). Ela foi a primeira a cair na água e fez 59s45, terminando em 34º lugar.Joanna está de volta – Joanna Maranhão não conseguiu vaga na final. Foi a 17ª com 4m40s18. Mas estava feliz da vida com seu resultado. Desde Atenas 2004 que ela não nadava na casa de 4m40s. O resultado a animou para os 200m borboleta e os 200m medley, seus próximos desafios na competição. 

- Eu precisava disso. Foram quatro anos para repetir o tempo e isso é um alívio muito grande. Foi minha primeira caída na água e eu tinha que provar que era possível. Sei que não estou na final, mas tem campeão olímpico aqui que não está feliz como eu. Minha meta nos 20m medley é fazer um tempo na casa de 2m10s e quero que dê tudo certo nos 200m borboleta. Guardei o melhor maiô para esta prova, pois é nela que aposto mais em passar para a semifinal – contou.

Norueguês na área – O norueguês Dale Oen deixou para trás astros dos 100m peito como o japonês Kosuke Kitajima e o americano Brendan Hansen. Ele bateu o recorde olímpico da prova, 59s41, e liderou a eliminatória. Mas as fases seguintes prometem emoções, pois Kitajima e Hansen estão “logo ali”. O primeiro fez 59s52 e o segundo, 59s67.  O brasileiro Felipe França Silva fez 1m01s04 e melhorou seu tempo do Maria Lenk, 1m01s17. Felipe deve integrar o 4x100m medley ao lado de César Cielo (livre), Kaio Márcio ou Gabriel Mangabeira (100m borboleta) e Guilherme Guido (costas).Recordes dois em um – O 4x100m livre feminino de Tatiana Lemos, Flávia Delaroli, Michelle Lenhardt e Monique Ferreira bateu com 4m42s85 o próprio recorde sul-americano, 4m43s16. Na abertura da prova, Tatiana Lemos fez 55s08 e também superou a marca do continente dos 100m livre, que também era sua, 55s34. O quarteto terminou em 13º e não estará na decisão. A equipe chinesa, melhor tempo das eliminatórias (3m36s78), bateu o recorde asiático.  - Claro que todos os que estão aqui querem chegar o mais longe possível. Todo mundo quer estar na final, mas o resultado foi bom. O tempo da Tatiana mostra que ela está bem e ela ainda tem os 100m livre individual e o 4x100m medley aqui. A equipe está feliz com os primeiros resultados – disse. 

Tomada de Tempo - Fernado Silva levou a melhor na tomada de tempo após as eliminatórias do primeiro dia para decidir quem entrará no 4x100m livre. Fernando marcou 49s72 e Eduardo Deboni, 50s07.