CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais
CBDA, Nado Sincronizado, Maratonas Aquáticos, Saltos Ornamentais, Natação, Pólo Aquático
'

Natação

29/03/2010 00:00:00

Brasil, 27 vitórias em 51 pódios


Medellin/COL – Mais uma vez deu a natação brasileira no Sul-Americano Absoluto, encerrado nesta 2ª feira, 29/3, nesta cidade colombiana. (...)

Medellin/COL – Mais uma vez deu a natação brasileira no Sul-Americano Absoluto, encerrado nesta 2ª feira, 29/3, nesta cidade colombiana. Na última etapa, o Brasil conquistou mais 12 medalhas ( 6 ouros, 3 pratas e 3 bronzes). Ao final de quatro dias de competição, os brasileiros totalizaram 51 medalhas na natação (27 ouros, 17 pratas e 7 bronzes).          A Venezuela veio a seguir com 24 medalhas (9 ouros, 6 pratas e 9 bronzes); depois aparecem Argentina, 19 (3-6-10); Chile, 3 (1-2-0); Colômbia, 16 (0-6-10); Paraguai, 4 (0-3-1); Equador, 2 (0-1-1); Uruguai, 1 (0-0-1).Thiago Pereira conseguiu mais duas vitórias invididuais, totalizando três na competição. O brasileiro venceu nos 400m medley (4m28s79) e nos 200m peito (2m16s89) e em ambas superou a marca dos Jogos da Odesur.Nas duas primeiras provas da noite, o mesmo resultado, com um ouro e um bronze para o Brasil. Nos 50m livre feminino, Flavia Delaroli derrotou a recordista sul-americana, a venezuelana Arlene Semeco, com 25s37 contra 25s51. Em terceiro, Daynara de Paula, com 25s94. Já nos 50m costas masculino, vitória de Guilherme Guido, e com Daniel Orzecowshki em terceiro. Os dois vencedores quebraram marcas de Campeonato Sul-Americano e dos Jogos da Odesur.- O tempo foi melhor do que esperava nesta fase de treinos, antes do polimento, e em que estamos pesados, cansados, sem falar no fator altitude. As pessoas, às vezes, não compreendem que  não podemos fazer bons tempos a temporada inteira. Temos que escolher competições e esta vem sendo encarada como uma competição-treino. E mais importante do que as medalhas são os tempos obtidos e este de hoje, por tudo o que disse, foi muito bom – concluiu Flavia Delaroli.Fabíola Molina caiu na água três vezes nesta competição e conquistou três ouros. Depois da vitória nos 50m costas da véspera, ela foi a melhor nos 100m, mesmo estilo, com 1m01s65 e ajudou o revezamento medley a vencer em 4m13s97, ambos com novas marcas de campeonato sul-americano e Jogos da Odesur. O reveza foi completado por Tatiane Sakemi, Daynara de Paula e Tatiana Lemos Barbosa.Sakemi nadou também os 100m  peito e foi prata (1m12s47), com Carolina Mussi com o bronze (1m12s78). O ouro ficou com a argentina Agustina de Giovanni, 1m10s00, nova marca das duas competições. A argentina também participou do reveza medley em que as argentinas chegaram em segundo.As outras pratas do Brasil vieram com Nicolas Oliveira nos 100m livre, prova em que ficou empatado com o paraguaio Benjamin Hockin, 50s50. O vencedor foi o venezuelano Crox Acuña, com 50s29. E ainda com o revezamento 4x100m livre, também com a participação de Nicolas, que o abriu, seguido de Guilherme Roth, Rodrigo Castro e Thiago Pereira. Os brasileiros fizeram 3m24s56 e perderam somente para os venezuelanos, que cravaram 3m22s89. Roth também esteve nos 100m livre individual, na qual terminou em 7º, 52s07.Nos 1500m livre, Sarah Correa chegou em quarto, com 17m19s97. A primeira colocada foi a recordista continental, Kristel Kobrich, do Chile, 16m26s15, novo recorde de campeonato sul-americano absoluto.obs: veja balizamentos e resultados neste especial.