CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Natação

28/03/2010 00:00:00

Em dia de Fabíola, Joanna e Thiago, mais 11 medalhas


Medellin/COL – Em mais um dia de brilho para a natação brasileira, Fabíola estreiou com ouro, Thiago nadou fácil, Joanna (...)

Medellin/COL – Em mais um dia de brilho para a natação brasileira, Fabíola estreiou com ouro, Thiago nadou fácil, Joanna conquistou seu 5º ouro e o Brasil fez mais duas dobradinhas (ouro e prata). No final, mais 11 pódios (7-4-0). Agora, o Brasil conta com 39 medalhas (21 ouros, 14 pratas e 4 bronzes) na natação.A Venezuela vem a seguir no quadro de medalhas da natação, com 18 pódios (7-4-7). Depois aparecem a Argentina, 15 (2-4-9); a Colômbia, 11 (0-4-7); o Paraguai, 3 (0-2-1); o Chile, 2 (0-2-0); e Uruguai e Equador empatados com uma única medalha de bronze.Fabíola Molina parece vinho e continua a dar aulas no estilo costas para as mais jovens (das outras sete finalistas, a mais velha nasceu nove anos depois da campeã sul-americana). Nos 50m costas, a brasileira fez 28s50, superando sua própria marca de campeonato sul-americano e de Jogos da Odesur , obtida nas eliminatórias (28s69), tempo parecido com o que lhe deu o índice para os Jogos de Pequim, mas ainda distante de seu recorde continental, de 27s70. Fernanda Alvarenga foi sexta com 30s53.

- Estou satisfeita com minha marca pois não tive o tempo ideal de treinamento para cá. Me formei em sargento do exército e estava em acampamento na semana passada. Além disso machuquei o braço em treinamento recente, sem falar que mudei para Brasília em fevereiro. Ou seja, minha vida mudou por completo.

Thiago Pereira nadou fácil novamente. Numa chegada incrível, o brasileiro venceu com autoridade, 2m03s16 (nova marca dos Jogos da Odesur), e já pensava no dia seguinte.- Pensei em nadar somente os 150 metros e deixar me levar no livre. Mas nadei bem, fácil, e cheguei muito bem aqui na altitude, que sempre é mais difícil, o que me deixa bem contente. Costumo sair cheio de dores e hoje nada. Venho treinando pesado, não vou polir pro Troféu Maria Lenk, e espero chegar na plenitude da forma no Pan-Pacífico de agosto nos Estados Unidos. Agora é descansar bem pois amanhã vou ter um dia pesado com os 200m peito, os 400m medleu e o reveza 4x100m livre – disse Thiago, que saiu sorrindo da prova. O segundo colocado, Leopoldo Andara, da Venezuela, veio bem atrás com 2m08s27.Joanna conquistou sua sexta medalha na competição, a quinta de ouro (nos 800m livre foi bronze). O triunfo desta vez foi nos 200m borboleta, com 2m13s22, nova marca das duas competições simultâneas (Sul-Americano Absoluto e Jogos da Odesur). A capixaba Daiene Dias terminou na 7ª colocação, com 2m26s22.A prova mais longa das piscinas, os 1500m livre, viu os brasileiros dominarem o pódio, invertendo o pódio dos 800m livre, no primeiro dia. Agora, deu ouro para Luis Arapiraca, 15m41s91, e prata para Lucas Kanieski, 15m43s69. - Não estava esperando mais nada desta prova, pois fiz um tempo ruim nos 800m. Mas acabei acertando as viradas, encaixei bem, e fiz um tempo melhor do que imaginava antes – revelou Arapiraca, recordista sul-americano da prova.Na segunda dobradinha verde-amarela deste domingo, Carolina Mussi e Tatiane Sakemi foram ouro e prata nos 200m peito, com 2m39s75 e 2m41s22, respectivamente. Tatiana Lemos Barbosa ficou com a prata dos 200m livre feminino, 2m05s00, atrás da argentina Cecília Biagioli, 2m03s28.Na prova mais rápida da natação, os 50m livre, o venezuelano Crox Acuña venceu com 22s99, superando o brasileiro Nicolas Oliveira, segundo com 23 segundos cravados. Guilherme Roth ficou fora do pódio por muito pouco ao chegar em quarto, 23s27, 17 centésimos atrás do argentino Federico Grabich. Já os 100m borboleta masculino foi a primeira prova no Sul-Americano a não contar com brasileiros na final e deu Albert Subirats, da Venezuela, com 52s86, novo recorde de campeonato e dos Jogos da Odesur.

Nas últimas provas da noite, os revezamentos, o Brasil venceu no 4x100m medley masculino (Guilherme Guido, Felipe França Silva, Gabriel Mangabeira e Nicolas Oliveira), com 3m43s73, novo recorde dos Jogos da Odesur; e no 4x100 livre feminino (Daynara de Paula, Flavia Delaroli-Cazziolato, Alessandra Marchioro e Tatiana Lemos Barbosa), com 3m48s34, nova marca de campeonato sul-americano e dos Jogos da Odesur.obs: veja os resultados em "balizamentos e resultados" neste especial