CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Natação

25/04/2015 17:22:07

Um Tsunami chamado Brandonn Almeida


Sul-americano Juvenil 2015

Foto: CBDA/Divulgação Um Tsunami chamado Brandonn Almeida
25/04/2015 17:22:07

Lima / Peru – Com duas medalhas de ouro e o título com a equipe brasileira, em seu último Campeonato Sul-Americano Juvenil de Natação, Brandonn Almeida não se intimida com os novos desafios e se sente preparado para representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos e no Mundial Junior. Quatro anos depois de integrar sua primeira seleção brasileira, em um sul-americano juvenil, também realizado na cidade de Lima, no Peru, Brandonn volta ao mesmo parque aquático, desta vez não como uma promessa brasileira. Com 18 anos e recordista brasileiro nos 1500m livre (15m12s20), o atleta do Corinthians treina em média seis horas por dia, diz sonhar com a Olimpíada do Rio, mas sem perder o foco nos “degraus que antecedem esta etapa”.

- Eu sonho com os Jogos de 2016, mas hoje encaro como uma realidade próxima, não mais como um sonho distante. Se os tempos do Maria Lenk fossem válidos, hoje eu já estaria com uma vaga. Então, saber que eu consigo me dá mais vontade de treinar. Não me cobro muito por resultados, mas eu não quero só participar dos Jogos Olímpicos e sim fazer o meu melhor e consequentemente representar bem a natação do Brasil – comentou Brandonn Almeida.

Com índice para participar também do Mundial de Esportes Aquáticos, em Kazan, e do Mundial Junior, em Cingapura, Brandonn comenta sua vontade de disputar todas as competições, mas revela que o objetivo principal é o mundial junior da modalidade.

- Eu adoro nadar defendendo a seleção brasileira e treino muito para melhorar ainda mais. Vou me preparar bastante para conseguir chegar em Cingapura e conseguir melhorar meu tempo. O objetivo é brigar por uma medalha em Cingapura – completou Brandonn.

O paulista ingressou na natação com apenas três anos, também praticou judô, jiu-jitsu e futebol, mas ao ingressar nas competições petiz, defendendo a equipe corinthiana, começou a optar pela modalidade aquática. Brandonn começou a cursar nutrição, mas pelo calendário de viagens e competições, optou por trancar a matrícula na faculdade, até o fim dos Jogos Olímpicos.

- Eu sempre fui muito competitivo e quando comecei a vencer as provas de natação, gostei ainda mais. No infantil eu percebi que queria ser nadador profissional.  Hoje a minha vida é toda voltada para a natação – analisou Brandonn.

Além de Brandonn, Bruna Primati, Gabrielle Roncatto e Jhennifer da Conceição se despedem do Sul-Americano e se preparam para representar o país nos Jogos Pan-Americanos, pela primeira vez. Jhennifer, de 17 anos, também faz parte da delegação que irá ao Mundial de Esportes Aquáticos, em Kazan, na Rússia. Gabrielle Roncatto também irá a Cingapura disputar o mundial junior da modalidade.

- Eu, Bruna e Gabi estamos juntos há alguns anos, a Jhennifer chegou mais recentemente, mas vai ser muito importante para todos nós estarmos juntos no nosso primeiro Pan-Americano – finalizou Brandonn Almeida.



Mariana de Sá