CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Natação

12/08/2016 12:30:24

Depois de 36 anos, 4x100m medley masculino na final olímpica


Jogos Olímpicos Rio 2016

Foto: Satiro Sodré / SSPress / CBDA Depois de 36 anos, 4x100m medley masculino na final olímpica
12/08/2016 12:30:24

Rio de Janeiro/RJ - O quarteto formado por Guilherme Guido, Felipe França, Henrique Martins e Marcelo Chierighini conseguiram classificação para a final do 4x100m medley masculino, no último dia de eliminatórias, na tarde desta sexta-feira, 12/08. O time colocou o Brasil na prova depois de 36 anos. A última vez foi em 1980 (ver no final). Com ótima atuação de Henrique Martins no estilo borboleta (foi o melhor da série na frente do americano Tom Shields e do francês Jeromy Stravius e quarto tempo no geral) o time marcou 3m32s96 e está com o sétimo tempo na decisão.

Henrique, França e Guido, com Chierighini na água

Guilherme Guido marcou 53s96 no estilo costas. Depois veio Felipe França nadando peito com 59s64. Ele deixou para Henrique (51s64) que entregou para Marcelo Chierighini fechar com 47s72. 

— Ontem fiquei entalado porque não saiu aqueles 100m borboleta. Voltei pra Vila e fiquei uma hora deitado tentando processar tudo. E botei como meta pegar uma final olímpica. Que bom que todo mundo estava pensando igual. Fiquei surpreso com o tempo, feliz. O tempo mostra que estou preparado e treinado - disse Henrique.

Marcelo falou da união do time após a noite de quinta-feira.

— Considero uma reação não só minha, mas de todo mundo na competição. Todo mundo foi se reerguendo, se unindo depois da torcida pelo Thiago. Depois de 36 anos pegar uma final...estamos aí. Amanhã tem final — disse Chierighini.

Felipe França retornou a competição depois de cinco dias.

— Depois de cinco dias de competição a gente perde um pouco o ritmo. Só soltando, descansando ou fazendo outras coisas. Pra final creio que já vai melhorar o tempo porque já peguei outra vez o ritmo — disse França.

Os primeiros colocados da prova foram o time da Grã-Bretanha (3m30s47), Estados Unidos (3m31s83) e Japão (3m32s33).

Etiene na Semifinal — Etiene Medeiros passou à semifinal após a forte eliminatória dos 50m livre feminino. Ela entrou com o 16º tempo (24s82) nadando na mesma série da americana campeã dos 100m livre, Simone Manuel (11ª, com 24s71). A dinamarquesa Pernile Blume venceu as eliminatórias, com 24s23.

— Eu acho que foi uma boa oportunidade. Estou muito feliz de estar entrando em mais uma semi nas minhas primeiras Olimpíadas. Se Deus quiser vou estar próxima do meu melhor ou fazer o melhor tempo e é mais uma oportunidade. Talvez o finalzinho se eu iniciar um pouco mais alongada e continuar com uma amplitude maior vai ser bom. Lutei pra entrar na semifinal e vou brigar pra ir para a final. Estou no jogo, ainda tem hoje o dia inteiro, amanhã o dia inteiro. Tem que ficar focada — disse.

Etiene Medeiros

Graciele Herrmann não conseguiu classificação para a semifinal, com o tempo de 25s60 e ficou na 40ª posição.

Na prova de 1500m livre, Brandonn Almeida e Miguel Valente foram quarto e quinto colocados na série eliminatória que disputaram. Brandonn fez 15m14s73 e Valente, 15m22s57.

Miguel e Brandonn

A versão feminina do revezamento medley brasileiro terminou na 13ª colocação, com 4m02s83. Três das meninas são estreantes nos Jogos. A exceção foi Daynara de Paula, em sua terceira Olimpíada. 
- Sou a segunda mais velha, atrás da Joanna, e a mais velha do reveza, mas quero ir em mais uma – revelou Daynara.  Já Larissa, que se destaca há mais tempo, também é uma estreante em Jogos, "não gosto muito de falar, sou tímida, mas cair na piscina numa Olimpíada é algo muito bom, sem explicação. Sou melhor em fotos - brincou. 

Natalia e Jhennifer, que nadaram apenas o revezamento e são as caçulas do quarteto, deram sua impressão do que é atuar nos Jogos Olímpicos.

- Era um sonho que consegui realizar e estou muito feliz em representar o Brasil na minha casa. Tenho certeza que a experiência que eu e Jhennifer estamos levando daqui será muito importante para Tóquio/2020. Foi uma aprendizagem para as próximas Olimpíadas, como aprender a lidar com a torcida - disse Natalia. Já Jhennifer lamenta apenas não ter nadado na prova individual de seu estilo, o peito. 

 Me preparei bastante, vim torcer pro pessoal, ouvindo a torcida empurrar, mas hoje, na minha hora, é algo inexplicável a energia que sentimos. Como a Natalia disse, estaremos mais preparadas para Tóquio. 

Eliminatórias — 12.08

50m livre — Etiene Medeiros — 24s82 — 16º (semifinal)

50m livre — Graciele Herrmann — 25s60— 40º

1500m livre — Brandonn Almeida — 15m14s73 — 29º

1500m livre — Miguel Valente — 15m22s57 — 31º

4x100m medley F — Natalia de Luccas, Jhennifer Conceição, Daynara de Paula e Larissa Oliveira — 4m02s83 - 13º 

4x100m medley M - Guilherme Guido, Felipe França, Henrique Martins e Marcelo Chierighini - 3m32s96 - 7º

A natação brasileira conta com recursos dos Correios - Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros -, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva - Governo Federal - Ministério do Esporte, COB, Speedo e Estácio.




Eliana Alves / Souza Santos / Mariana de Sá