CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Natação

07/12/2014 00:00:00

Doha dá ao Brasil a coroa em piscina curta


Doha/Catar – O Brasil ganhou o 12º Mundial em Piscina Curta com uma bagagem preciosa: sete medalhas de ouro, uma (...)

Foto: CBDA/Divulgação Doha dá ao Brasil a coroa em piscina curta
07/12/2014 00:00:00
Doha/Catar – O Brasil ganhou o 12º Mundial em Piscina Curta com uma bagagem preciosa: sete medalhas de ouro, uma de prata, duas de bronze, dois recordes mundiais, dois recordes de campeonato, e 22 novas marcas brasileiras e sul-americanas. Como se não bastasse, Felipe França saiu como o maior medalhista de ouro da competição com cinco vitórias, e a natação feminina vê nascer uma nova referência, Etiene Medeiros, primeira mulher no país a ganhar uma medalha de ouro em um Mundial de piscina da FINA. As nadadoras foram responsáveis por 13 das marcas continentais superadas na competição. Etiene Medeiros ganhou a medalha de ouro com recorde mundial nos 50m costas (25s67) e se tornou a primeira brasileira a ser recordista mundial e campeã num Mundial de Natação da FINA. Antes dela, apenas as maratonistas aquáticas Ana Marcela Cunha e Poliana Okimoto tinham um ouro mundial na carreira. Na final dos 50m costas, a brasileira venceu a super recordista mundial, a húngara Katinka Hosszu (25s96) e a australiana Emily Seebohm (25s67). Etiene é fruto de muito trabalho. A pernambucana de 23 anos vem se destacando desde os 17, quando foi vice-campeã nos 50m costas do Mundial Júnior da Fina, na cidade de Monterrey, em 2008. No entanto há dois anos mudou radicalmente sua vida de atleta e isto coincidiu com a grande reformulação que a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos fez na estratégia para tratar os gêneros na natação. O superintendente técnico, Ricardo de Moura, com a aprovação do presidente da entidade, Coaracy Nunes Filho, colocou sob sua supervisão mais dois coordenadores: Alberto Silva, para tratar a natação masculina e Fernando Vanzela, para cuidar da natação feminina. A medida se mostrou um sucesso, pois ela saiu do 10º lugar no Mundial em Piscina Curta de Istambul em 2012 para o ouro em Doha. - Mudei minha vida toda. Trabalhei duro e muito focada. Hoje sabia que qualquer uma que ganhasse a prova poderia bater o recorde mundial. Não pensei no recorde. Pensei em bater na frente, em ganhar. Pensei em todas as vezes que caí na água aqui e em tudo o que treinei. Vejo a estrutura da natação brasileira para o feminino completamente diferente e muito boa. Mudanças não se fazem em um ou dois anos. Isso é fruto de um processo do qual um monte de gente fez parte – disse. O último dia em Doha foi de tirar o fôlego. Cesar Cielo abriu a torneira dourada quando bateu na placa de chegada em 45s75. Em segundo, o francês Florent Manaudou, 45s81 e em terceiro, o russo Danila Izotov (46s09). Algoz de Cielo nos 50m livre, o francês viu o brasileiro dar o troco em grande estilo. Mas Cielo ainda voltaria ao pódio dourado, desta vez com Guilherme Guido, Felipe França Silva e Marcos Macedo no revezamento 4x100m medley. Cesar resumiu o sentimento da equipe após a prova. - Hoje a natação brasileira escreveu uma nova página. Esse Mundial é histórico e já se tornou um dos mais importantes não só para a natação, mas para o esporte do país como um todo. Pode pesquisar, qual o esporte que tem um medalhista de ouro em cinco provas num mesmo Mundial, como o França? E a Etiene, que estabeleceu um novo parâmetro também não só pra natação feminina, mas para o esporte feminino no país. Pela primeira vez vi a equipe com desejo real de vencer, com a atitude de campeã. No revezamento os caras queriam o ouro e me deixaram em condições pra isso. Então vi que não podia decepcionar. Sem dúvida foi uma das provas mais emocionantes que eu já nadei. Eu sei que as competições tem pesos e “glamour” diferentes, mas essa aqui foi sim muito importante porque estávamos em pé de igualdade com todas as principais equipes. Também faltavam alguns atletas de ponta no nosso time como o Thiago (Pereira), o Bruno (Fratus) e o Leo (Leonardo de Deus) por exemplo. As outras equipes também vieram com vários de seus campeões olímpicos e outros faltaram, isso é normal. Estou feliz por ver que o Brasil cresceu e evoluiu como time, que todos são hoje muito profissionais, sabem como agir e o que tem que fazer. O resultado a gente está vendo aqui: Brasil campeão geral – desabafou. Felipe França, que passou com tranquilidade pelas fases eliminatórias e semifinais para fazer tudo o que sabe na decisão, também foi só elogios ao time e aos colegas. Ele marcou uma nova marca da competição com 25s63. Nos degraus de prata empatados o sul-africano Cameron van der Burgh e o britânico Adam Peaty, ambos com 25s87. - Eu hoje tive muito motivos para ficar feliz. Saio 100 por cento contente com o meu desempenho, todas as minhas metas foram atingidas e agora já vamos voltar pensando no Mundial em Piscina longa do ano que vem. A natação está num ótimo momento no Brasil e eu também estou. Sinto que não estava preparado antes, mas agora estou e as coisas aconteceram. Só tenho a agradecer especialmente a Deus por tudo o que aconteceu aqui. Fiquei feliz também pela prova do Cesar de 100m livre. Ele venceu não porque o adversário cansou ou errou. Ele venceu pela superação pessoal dele, pelo esforço dele e isso é bom demais de ver – disse. O chefe técnico da equipe, Alberto Silva, também analisou como sem precedentes a campanha brasileira em Doha. - Foi realmente maravilhoso. Todos estão de parabéns. Eu senti um Brasil unido, com os atletas vibrando pela conquista dos colegas e querendo participar. Muitos deixaram de lado suas próprias aspirações para poder beneficiar a equipe, como o pessoal que nadou os revezamentos. Eu sentia falta de ver esse espírito no time e acho que isso fez a diferença. Um resultado desses não nasce da noite para o dia. Isso vem em mudanças quase que diárias e muita gente participa. Eu não posso deixar de falar aqui, de agradecer ao presidente Coaracy (Coaracy Nunes Filho ) e ao Ricardo (Ricardo de Moura, superintendente técnico da CBDA) por acreditarem no nosso trabalho e fazerem tudo o que é possível para que a gente tenha as condições ideais, com os recursos dos Correios, do Ministério dos Esporte e de todos os nossos patrocinadores e apoiadores. É claro que sabemos que ainda falta um caminho a ser percorrido para que o Brasil seja a potência esportiva que a gente sonha, mas muito está sendo feito e é preciso reconhecer. No mais, vamos passar agora a outra fase, sempre mirando nos objetivos e fazendo o possível para que a equipe brasileira chegue realmente no topo – disse. O próximo desafio da natação brasileira será o Campeonato Brasileiro Sênior e o Torneio Open, simultâneos, na piscina do Botafogo, no Rio de Janeiro, de 17 a 20 de dezembro. A competição já será seletiva para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, e o Mundial dos Esportes Aquáticos de Kazan, na Rússia, em 2015. A seleção brasileira de natação disputou o Mundial de Doha com recursos dos Correios – Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federal – Ministério do Esporte, Speedo, Sadia e Universidade Estácio de Sá. Comparativo Mundial de Istambul 2012: 1 medalha de ouro, 1 de bronze e 4 recordes sul-americanos Mundial de Doha 2014 - 7 medalhas de ouro, 1 de prata, 2 de bronze, 2 recordes mundiais, 2 de campeonato e 22 recordes brasileiros e sul-americanos 12º Mundial em Piscina Curta – Resultados do Brasil Medalhas 1. Ouro- 4×50 medley – Guilherme Guido, Felipe França, Nicholas Santos e Cesar Cielo – 1m30s51 2. Ouro- 100m peito – Felipe França – 56s29 3. Ouro - 50m costas – 1º Etiene Medeiros – Brasil – 25s67 4. Ouro- - 4x50m medley misto – Etiene Medeiros, Felipe França, Nicholas Santos e Larissa Oliveira – 1m37s26 5. Ouro - 100m livre masculino – Cesar Cielo – 45s75 6. Ouro – 50m peito - 1º Felipe França – 25s63 7. Ouro - 4x100m medley masculino – Guilherme Guido, Felipe França Silva, Marcos Macedo e Cesar Cielo Filho – 3m21s14 8. Prata – 50m borboleta – Nicholas Santos – 22s08 9. Bronze – 50m livre Cesar Cielo – 20s88 10. Bronze – 4x50m livre misto – Brasil - Cesar Cielo, João de Lucca, Etiene Medeiros e Larissa Oliveira – 1m29s17 RECORDES RM = Recorde Mundial (1)/ RC = Recorde de Campeonato (1)/ RS = Recorde Sul-Americano (11) /RB = Recorde Brasileiro (11). Superados em finais  RM, RS e RB - 4×50 medley M – 1º Guilherme Guido, Felipe França, Nicholas Santos e Cesar Cielo – 1m30s51 RM, RS,RB - 50m costas feminino – 1º Etiene Medeiros – 25s67 RC, RS e RB - 50m peito masculino – 1º Felipe França – 25s63 RC, RS - 100m peito M – 1º Felipe França – 56s29 RB,RS - 4x50m medley misto – 1º - Etiene Medeiros, Felipe França, Nicholas Santos e Larissa Oliveira – 1m37s26 RB,RS - 4x100m medley masculino – 1º - Guilherme Guido, Felipe França Silva, Marcos Macedo e Cesar Cielo Filho – 3m21s14 RB, RS - 4x200m livre M – 6º - João de Lucca, Gustavo Godoy, Fernando Ernesto e Gabriel Ogawa – 6m54s53 RB,RS - 4x50m medley feminino – 5º -Etiene Medeiros, Ana Carla, Daynara de Paula e Larissa Oliveira 1m46s47 RB,RS - 50m costas – Etiene Medeiros (na abertura 4x50m medley feminino) – 26s03 RB,RS - 4x100m livre feminino – 7º Brasil - Larissa Oliveira, Daynara de Paula, Daiane Becker, Alessandra Marchioro – 3m33s93 RB,RS - 50m borboleta – 2º Nicholas Santos – Brasil – 22s08 RB,RS - 4x50m livre feminino – 8º Brasil - Daiene Becker, Larissa Oliveira, Alessandra Marchioro e Daynara de Paula – 1m38s78 RB,RS - 100m medley masculino –6º Henrique Rodrigues – Brasil – 52s20 Superados em semifinais RB,RS - 100m costas – 7º Etiene Medeiros 57s13 RB,RS -100m livre – 10ª Larissa Oliveira – 52s75 RB,RS - 50m costas – 2º Etiene Medeiros – Brasil – 25s99 Superados em eliminatórias RB,RSA - 4x200m livre masculino – 3º - João de Lucca, Gustavo Godoy, Fernando Santos, Gabriel Ogawa - 6m55s60 RB,RS - 100m costas – 6º Etiene Medeiros - 57s36 RB,RS - 4x50m medley – 4º - Henrique Martins, João Gomes Júnior, Nicholas dos Santos e João de Lucca – 1m33s48 RB,RS - 4x50m medley misto – Etiene Medeiros, João de Lucca, Henrique Martins, Daiene Becker - 1m39s60 RB,RS - 4x50m medley feminino – 3º Etiene Medeiros, Ana Carvalho, Daiene Dias e Alessandra Marchioro – 1m47s20 RB,RS - 4x100m livre feminino - 5º Larissa Oliveira, Dainara de Paula, Daiane Becker, Alessandra Marchioro – 3m34s51 RB,RS - 4x50m medley feminino – 3º Etiene Medeiros, Ana Carvalho, Daiene Dias e Alessandra Marchioro – 1m47s20 RB,RS - 4x100m livre feminino – 5º Larissa Oliveira, Daynara de Paula, Daiane Becker, Alessandra Marchioro – 3m34s51