CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Natação

03/12/2014 00:00:00

Etiene começa enfileirando recordes e Brasil já em quatro finais no segundo dia


Doha/Catar – Etiene Medeiros não para de enfileirar recordes desde o Troféu José Finkel, no último mês de setembro, e (...)

Foto: Etiene começa enfileirando recordes e Brasil já em quatro finais no segundo dia
03/12/2014 00:00:00
Doha/Catar – Etiene Medeiros não para de enfileirar recordes desde o Troféu José Finkel, no último mês de setembro, e seletiva para o Mundial que teve suas primeiras semifinais e finais nesta terça-feira, 3/12. Ela nadou os 100m costas em 57s13 e bateu a própria marca continental das eliminatórias, 57s36, que por sua vez superou os 50s53 do Finkel. Na tarde de quarta-feira, 4/12, com transmissão do canal Sportv 2 a partir das 13h00, além de Etiene o país terá ainda Guilherme Guido, Felipe França Silva e Marcos Macedo na decisão. Guilherme Guido passou à final com o segundo melhor tempo, 50s12, atrás apenas do australiano Larkin James (49s62) e vigiado de perto pelo japonês Ryosuke Irie (50s16). Pela manhã, nas eliminatórias, ele saiu com o 11º tempo (51s05), mas é dono do recorde sul-americano, 49s63, feito em 2009, no auge do uso dos trajes tecnológicos. Guido deixou para trás o campeão olímpico da prova e primeiro das eliminatórias, o australiano Matt Graver (4º com 50s26)) e Irie também pódio olímpico no estilo. - É muito legal. Isso é que faz a diferença em nadar um Mundial. Respeito todos fora d’água, mas dentro da piscina não tem essa. Caio para nadar de igual para igual. Ganhar uma semifinal mundial e passar pra final com o segundo tempo é bom demais principalmente porque é meu melhor tempo sem o uso dos trajes e gostei bastante. Eu tenho bons fundamentos então não tenho dificuldades com a piscina curta. Estou pensando na piscina longa, no Open (Torneio no Rio de Janeiro que em duas semanas é primeira seletiva para o Mundial dos Esportes Aquáticos de Kazan, ano que vem) e esse é objetivo principal, por isso mudei meu trabalho de musculação e perdi 5 quilos – contou. Quem também “secou” visando melhores resultados foi Felipe França. Ele deixou para trás 20 dos 119 quilos. Na prova semifinal ele aumentou o tempo, com 57s21 contra os 57s13 das eliminatórias. Terminou com a sexta marca para as finais, mas saiu tranquilo. - Não foi ruim. Acho que está dentro do planejado. Algum detalhe pode ter escapado. Ainda vou ver a prova e as parciais para acertar a estratégia pra final e dar o melhor na decisão de amanhã. Sobre o peso, ele caiu com o trabalho dentro e fora d’água que mudou um pouco – disse. Etiene Medeiros entrou na final com o sétimo tempo, 57s13, batendo outra vez seu recorde sul-americano dos 100m costas. Nas eliminatórias ela fez 57s36 e bateu a marca que fizera no Troféu José Finkel, 57s53. Uma fase sem precedentes que ela espera ser coroada com um resultado inédito em Doha. - Estou feliz demais. Eu tinha pensado em terminar minha séria entre o 3º e 4º lugar no máximo pra garantir e consegui. Semifinal é assim. Tem que ficar em terceiro, estourando em quarto na série pra tentar entrar. O importante é que baixei o tempo e amanhã espero que os bons resultados continuem – disse. Marcos Macedo e Nicholas dos Santos nadaram a segunda e última semifinal dos 100m borboleta. Com 50s03, Marcos melhorou significativamente em relação a eliminatória (50s76) e está na final com o quarto tempo. Nicholas fez 50s79, teve ligeira melhora comparando com os 50s86 da manhã, mas não conseguiu classificação. O primeiro lugar das semifinais foi do sul-africano campeão olímpico Chad le Clos, 49s25. - Dessa vez consegui acertar as viradas e não deixa de ter sido um tempo melhor. Poderia ter saído um 40.9s, mas está bom. A prova ainda não foi perfeita, meu braço travou um pouco na primeira braçada, mas amanhã está todo mundo junto e vamos pra cima – disse o potiguar Marcos, de 23 anos. O time brasileiro de revezamento 4x100m livre formado por Henrique Martins, João de Lucca, Alan Vitória e Gustavo Godoy terminou em oitavo lugar com 3m08s31. O time que nadou pela manhã - Henrique Martins, Cesar Cielo, Alan Vitória e Henrique Rodrigues – foi unânime em dizer que as equipes que nadaram as eliminatórias não seriam as mesmas, que o foco principal seria nas provas com reais chances de medalha. Esta foi filosofia adotada pela comissão técnica. - A gente sabia que seria difícil. Nós temos que pensar nos melhores resultados possíveis. Este foi o primeiro dia e é preciso ter foco. São 12 revezamentos nesta competição e nenhum país está priorizando todos eles. Cada um mira no que pode dar melhores resultados. E nossas chances no 4x50m medley amanhã são altas. Vamos entrar nas eliminatórias com Guilherme Guido, Felipe França, Nicholas Santos e Alan Vitória. Passando à final, entramos com o Cielo e o Marcos Macedo – explicou. O pódio do revezamento foi formado por França com recorde de campeonato (3m03s78), Rússia (3m04s18) e Estados Unidos (3m05s58). O dia foi das mulheres. A espanhola Mireya Belmonte brilhou no primeiro dia com dois recordes mundiais – 200m borboleta (1m59s61) e 400m medley (4m19s86). O time feminino da Holanda de 4x200m livre– Inge Dekker, Femke Heemskerk, Ranomi Kromowidjojo e Sharon Van Rouwendaal – também superou a marca do mundo com 7m32s85. Um duelo sempre aguardado – Além do forte 4x50m medley, o segundo dia de provas no Catar trará o sempre aguardado duelo Brasil x França com Cesar Cielo e Florent Manaudou nos 50m livre (Ver lista no final) A seleção brasileira de natação disputará o Mundial de Doha com recursos dos Correios – Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva – Governo Federaral – Ministério do Esporte, Speedo, Sadia e Universidade Estácio de Sá. Finais – 3/12 – Primeira Etapa 100m costas – 2º Guilherme Guido (50s12) – Fase final 100m peito – 6º Felipe França Silva (57s21) – Fase final 100m costas – 7º Etiene Medeiros (57s13) – Fase final RB/RSA 100m borboleta – 4º Marcos Macedo (50s03) – Fase final / 14º Nicholas Santos (50s79) Resultados Finais - 1ª dia 200m Borboleta Fem – 1) Mireya Belmonte – Espanha – 1m59s61 – RM e RC / 2) Katinka Hosszu – Hungria – 2m01s12 / 3) Franziska Hentke – Alemanha – 2m03s89 400m Medley Fem – 1) Mireya Belmonte – Espanha – 4m19s86 / 2) Katinka Hosszu – Hungria – 4m22s94 / 3) Hannah Miley – GBR – 4m24s74 Rev. 4x100m livre Masc – 1) França – 3m03s78 – RC / 2) Rússia – 3m04s18 / 3) EUA – 3m05s58 / 8) Brasil -  Henrique Martins, João de Lucca, Alan Vitória e Gustavo Godoy - 3m08s31 Rev. 4x200m Livre Fem – 1) Holanda – 7m32s85 – RM e RC / 2) China – 7m37s02 / 3) Austrália – 7m38s59 Eliminatórias – 4/12 – Segunda Etapa 4x50m medley – Guilherme Guido, Felipe França Silva, Nicholas dos Santos e Alan Vitória 100m livre feminino - Alessandra Marchioro e Larissa Oliveira 400m medley- Thiago Simon 50m borboleta - Daynara de Paula e Daiene Dias 50m livre – Cesar Cielo e Alan Vitória 4x200m livre masculino 800m livre feminino – Sem brasileiras 4x50m livre misto – Etiene Medeiros, João de Lucca, Henrique Martins, Larissa Oliveira ou Daiene Becker