CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Pólo Aquático

27/02/2011 00:00:00

Brasil perde na prorrogação e fica com a prata


São Paulo/SP – Em jogo emocionante, o Brasil perdeu na prorrogação por 9 a 8 (BRA 1 x 2 CUB (...)

São Paulo/SP – Em jogo emocionante, o Brasil perdeu na prorrogação por 9 a 8 (BRA 1 x 2 CUB / 2 x  3 / 2 x 2 / 3 x 1 / 0 x 1 / 0 x 0) a final da Copa UANA (União de Natação das Américas), válida como Pré-Mundial. Os dois países estão classificados para o Mundial de Xangai, China, no próximo mês de julho. A Argentina ficou com o bronze e fora do Mundial.

O Brasil estava classificado desde sexta-feira quando venceu as próprias cubanas por 10 a 7, e pode ter entrado relaxado na partida. Mas com o decorrer do jogo, o time foi melhorando e por muito pouco não saiu vencedor. As cubanas Danay e Hirobis foram as artilheiras do torneio com 12 gols cada. 

No quesito jogadora a mais, Cuba foi melhor do que o Brasil, ao contrário da partida anterior. As cubanas acertaram duas de suas três jogadas com mulher a mais (67%) e o Brasil fez apenas três das nove tentativas (33%). As atletas sorteadas para o exame antidoping foram as seguintes: Cuba =  #6 Mayelin e #11 Leyanis. Brasil = #11 Bárbara Amaro e #13 Camila Gomes.

 - Entramos apáticas e nossa principal jogadora – Camila Pedrosa - não começou bem e perdeu gols. Isto influiu um pouco psicologicamente, o que não pode acontecer. Nossa mulher a mais foi fraca hoje e temos que treinar mais. O curioso é que crescemos no fim, mesmo sem nossa atacante principal. Eu mudei de posição e pude chutar a mais e fui feliz. Mas preferia ter jogado mal e não ter feito gols e o Brasil ter vencido – afirmou a capitã brasileira, Criss Beer, que vai pro seu terceiro Mundial, após Fukuoka/2001 e Roma/2009.

Cuba saiu na frente do marcador, após o Brasil perder dois contra-ataques com Camila, um deles sozinha diante da goleira cubana. O Brasil mandou duas bolas na trave e Cuba duas na rede na primeira metade do quarto. No final do quarto, Camila se redimiu e novamente diante da goleira, marcou o primeiro gol brasileiro.

O segundo quarto começou com Cuba jogando de forma contagiante, partindo pra cima do Brasil. Logo no início, fizeram o terceiro gol, de penalti, e ampliaram depois, com mais dois gols, até o Brasil começar a reagir. Dois gols da linha de cinco metros, primeiro com Fernanda e depois com Bárbara aos sete segundos para o fim, colocaram a equipe brasileira novamente no jogo: 3 a 5.

Com menos de um minuto do terceiro período, a capitã brasileira, Cris Beer, colocou fogo no jogo com um chute de longe: quarto gol brasileiro. Mas menos de um minuto depois, Camila Pedrosa foi excluída da partida (com direito a substituição) por acertar a cubana Hirobis. No contra-ataque, a própria Hirobis fez seu terceiro gol na partida e o sexto de Cuba e passou a artilheira do campeonato com 12 gols, superando em um gol sua companheira Danay. Babi fez mais um gol de longe aos 2’37” para o fim do quarto, mas aos sete segundos pro fim, Yanet marcou o 7º gol de Cuba, em jogada pelo centro com uma jogadora a mais.

O quarto final foi emocionante. Novamente Cris fez um gol no início do período, e logo a seguir, o Brasil teve a chance do empate num penalti, que Luiza chutou pra fora. Mas aos 5’53”, em rápido contra-ataque, em que a goleira cubana abafou o chute brasileiro, a bola sobrou para Fernanda, que a encobriu e empatou o jogo em sete gols. Após muitas jogadas desperdiçadas das duas equipes, Cuba ficou novamente à frente do placar numa jogada de jogadora a mais, mas Criss Beer, destaque do jogo, levou a partida novamente a igualdade em chute cruzado pela direita de ataque aos 1’05. Tanto Brasil como Cuba ainda tiveram tempo para perder chances como a de Marina Zablith em contra-ataque. Final 8 a 8 e prorrogação.

No tempo extra (dois tempos de três minutos), muito nervosismo de ambos os lados e só aos 16 segundos pro fim da primeira etapa, a cubana Danay fez seu único gol na partida e empatou a artilharia com a compatriota Hirobis, ambas com 12 gols.

Antes do jogo, Flavia Vigna falou sobre a vitória sobre as cubanas há dois dias.

- Foi muito emocionante atingir um objetivo. Já tinha jogado antes com o time adulto num Pré-Olímpico e o jogo contra elas é muito pesado no início. Com o tempo, nosso melhor preparo físico ajudou e vencemos bem no fim – disse Flavia, de 20 anos, uma das novatas do time brasileiro.

Sequencia de gols de Brasil x Cuba:1º quarto = Cuba 1 x 0 (5’48” #3 Yeliana) / Cuba 2 x 0 (4’13” #12 Neldys) / Brasil 1 x 2 (1’03” #10 Camila) 2º quarto = Cuba 3 x 1 (7’14” #4 Hirobis, de penalti)  / Cuba 4 x 1 (4’54” #3 Yeliana) / Cuba 5 x 1 (2’33” #4 Hirobis) / Brasil 2 x 5 (2’12” #9 Fernanda) / Brasil 3 x 5 (#7” #11 Babi) 3º quarto = Brasil 4 x 5 (7’14’ #7 Cris) /  Cuba 6 x 4 (6’44” #4 Hirobis) / Brasil 5 x 6 (2’37” #11 Babi) / Cuba 7 x 5 (1’11” #7 Yanet) 4º quarto = Brasil 6 x 7 (7’03” #7 Cris) / Brasil 7 x 7 (5’53” #9 Fernanda) / Cuba 8 x 7 (1’40” #8 Yadira) / Brasil 8 x 8 (1’05” #7 Cris) 1º quarto da prorrogação = Cuba 9 x 8 (16” #5 Danay) 2º quarto da prorrogação = sem gols.

Brasil = 1 – Tess Oliveira (goleira) / 2 – Cecília “Ciça” Canetti / 3 – Gabriela Leme  / 4 – Marina Canetti  / 5 – Marina Zablith  / 6 – Flavia Vigna / 7 – Criss Beer (capitã) (3) / 8 – Luiza Carvalho /  9 – Fernanda Palma (2)  / 10 – Camila Pedrosa (1)  / 11 – Bárbara “Babi” Amaro (2) / 12 – Gabriela Mantellato  / 13 – Camila Gomes (goleira). Técnico: Pablo Cuesta / Auxiiar-técnico: Frank Diaz

Cuba = 1 – Mairelis Zunzunegui Morgan (capitã) / 2 – Daniela Santos Escalona / 3 – Yeliana Bravo Turró (2)  / 4 – Hirobis Hernandez Consuegra (3)  / 5 – Danay Gutierrez Moré (1) / 6 – Mayelin Bernal Villa / 7 – Yanet López Hernandez (1)  / 8 – Yadira Oms Barroso (1)  /  9 – Dayana Morales Marrero / 10 – Yordanka Pujol Palacios  / 11 – Leyanis Gutierrez Cruz  / 12 – Neldys Truffin Abreu (1)  / 13 – Arisney Ramos Betancourt. Técnico: Francisco Trueba Veitia / Auxiiar-técnico: Eviecer Pozo Moran

Árbitros: German Moller (Argentina) & Zambrano (Venezuela)

Resultados:Dia 23/2 (quarta-feira) – Brasil 12 x 5 Argentina Dia 24/2 (quinta-feira) – Cuba 15 x 7 Argentina Dia 25/2 (sexta-feira) – Brasil 10 x 7 Cuba Dia 26/2 (sábado) – Cuba 11 x 7 Argentina Dia 27/2 (domingo) – Brasil 9 x 8 Cuba

Atenciosamente,