CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Pólo Aquático

10/08/2016 19:09:28

Brasil faz história, vence a poderosa Sérvia - invicta a 45 jogos - e sonha alto


Jogos Olímpicos Rio 2016

Foto: CBDA/Divulgação Brasil faz história, vence a poderosa Sérvia - invicta a 45 jogos - e sonha alto
10/08/2016 19:09:28

Rio de Janeiro/RJ - Este time quer fazer história, e faz. Depois da primeira vitória sobre a Croácia e a medalha de bronze, ambos na Liga Mundial 2015; da melhor colocação em Mundial com o 10º lugar em Kazan, no mesmo ano; agora a seleção brasileira de polo aquático masculino derrotou a poderosa Sérvia por 6 a 5 (0-2, 3-1, 2-0, 1-2), ampla favorita ao título olímpico, o único que não possui em sua coleção. A Sérvia estava invicta há dois anos e 45 jogos. 

Os gols brasileiros foram de Josip Vrlic (2), Felipe Perrone, Ádria Delgado, Bernardo Gomes e Gustavo Grummy. Para a Sérvia marcaram Filip Filipovic, Sava Randelovic, Dusan Mandic, Stefan Mitrovic e Slobodan Nikic.


O técnico da equipe brasileira, o croata campeão olímpico, Ratko Rudic, estava muito feliz com o resultado.

- Estávamos preparados, estudamos muito a Sérvia, procuramos neutralizar os jogadores adversários mais fortes. Este é um jogo muito “pensante” porque é importante o físico, mas também o psicológico. Para nossa equipe foi fundamental este jogo, pois estivemos bem na parte psicológica, característica das grandes equipes. Será importante para o futuro do polo brasileiro porque poderemos jogar contra qualquer seleção em alto nivel, perdendo ou ganhando, mas sempre competitivos, com defesa sólida e defesa sempre é chave pra vitória. Mantivemos o nosso ritmo e o mais importante, com alta concentração. Com esta vitória nos coloca nas quartas-de-final (os 8 melhores), que era o nosso primeiro objetivo – disse Rudic.

Os sérvios, atuais campeões mundiais, europeus e da Liga Mundial, saíram na frente com 2 a 0 no primeiro quarto, mas o time brasileiro em momento algum, se entregou. Ainda no segundo quarto empatou em três gols, após estar perdendo por 3 a 1. A virada veio no quarto seguinte quando os brasileiros venceram por dois gols e abriram 5 a 3 no marcador. No último quarto, a Sérvia reagiu, empatou e buscou a virada. Mas no minuto final, faltando 46 segundos, Grummy decretou a histórica vitória brasileira. 

- Nunca tivemos uma arquibancada assim. O pessoal acreditando, empurrando, sendo um jogador a mais, e o resultado é deles também. O esporte está crescendo, senão não estaria cheio aqui. Este jogo é um passo a mais, mas tudo é fruto de um trabalho longo, treinando oito horas por dia, com o melhor técnico do mundo, e tudo somado faz a diferença – resumiu Gustavo “Grummy” Guimarães.

Grummy

Com grande atuação coletiva, o Brasil só respeitou o temido adversário, antes do jogo começar, pois depois que a bola caiu na piscina, jogou de igual para igual, inclusive quando esteve atrás no marcador. Todos jogaram bem, mas se é a destacar alguém, porque não o goleiro Slobodan Soro, sérvio de nascimento, com duas medalhas olímpicas de bronze no currículo, e que se destacou com defesas difíceis e também com a ajuda das “amigas” traves.

O próximo adversário será a Grécia, às 19h30 desta 6ª feira, 12/08, também no Maria Lenk. Outro time forte, afinal os gregos conquistaram bronze no último Mundial de Esportes Aquáticos, em Kazan/2015, na Rússia. Na ocasião, a Sérvia foi campeã em final contra a Croácia. 

Com a derrota de hoje, a Sérvia está na 5ª colocação do grupo brasileiro, e ameaçada de ficar de fora das quartas-de-final, e portanto, da disputa de medalhas. Os quatro primeiros de cada grupo continuam a sonhar com o pódio e esta sempre foi a meta brasileira. Mas o sonho começa a crescer, como disse Perrone.

- Dar pra chegar nas Quartas, eu acreditava que dava. Mas ganhar da Sérvia nem nos meus melhores sonhos. É como ganhar do "Dream Team" americano de basquete - afirmou Perrone, capitão da seleção brasileira. Joguei os Jogos de Pequim e Londres e o que estamos vivendo aqui é indescritível. Mas conhecendo Ratko como conheço, sei que amanhã, ele colocará nossos pés no chão rapidamente. Somos de um esporte minoritário, uma aposta de alto risco, mas este grupo merece. Vocês não imaginam o que treinamos. Mas estamos nas Quartas e é especial por ser em casa, outra dimensão. Mais que a medalha, fomentar a prática do esporte é o mais importante, e isto é o bonito no momento olímpico e estamos dando nossa contribuição. Vi a garotada do nosso projeto social em Vicente do Carvalho e eles amanhã vão cair na água com  mais vontade ainda - disse Perrone.

Perrone #10

O marcador de centro, Felipe Silva, um dos mais experientes da equipe brasileira resumiu o pensamento de todo o grupo.

- Isso é trabalho que a gente fez. A gente está trabalhando muito, abdicou de muita coisa pra estar aqui. É só a gente colhendo o fruto do nosso trabalho. Jogar em casa, jogar com essa galera dá uma força inacreditável. Escutar o jeito que eles apoiam, simplemente não sentimos cansaço, não se sente dor, não sente nada. Tem muito mais pra vir por aí. De virada é ainda mais legal porque mostra que temos um poder ainda maior porque quando você está na frente é uma coisa, mas quando está perdendo precisa de concentração, precisa de cabeça pra virar o resultado e a gente mostrou isso. A gente mostrou que está pronto pro que der e vier. Contamos com todo mundo que está do nosso lado - disse Felipe Silva, o "Charuto".


Pela chave A, a do Brasil, jogaram pela manhã: Austrália 8 x 6 Japão e Grécia 8 x 8 Hungria. Pelo grupo B: França 3 x 6 EUA / Montenegro 5 x 6 Itália / Espanha 9 x 4 Croácia.

Sequência de gols

1º quarto: Sérvia 1 x 0 (#10 Filipovic – homem a mais) / Sérvia 2 x 0 (#4 Randelovic – homem a mais)

2º quarto: Brasil 1 x 2 (#12 Vrlic – pelo centro) / Sérvia 3 x 1 (#2 Mandic – homem a mais) / Brasil 2 x 3 (#10 Perrone) / Brasil 3 x 3 (#7 – Ádria – homem a mais)

3º quarto: Brasil 4 x 3 (#6 Bernardo Gomes – longa distância) / Brasil 5 x 3 (#12 Vrlic – pelo centro)

 4º quarto: Sérvia 4 x 5 (#12 Mitrovic – homem a mais) / Sérvia 5 x 5 (#7Nikic – pelo centro) / Brasil 6 x 5 (#11 Grummy – de penalti, aos 46 segundos pro fim)

Classificação: 

Grupo A = 1 – Brasil, 6 pts (saldo de 10 / 30 gols pró); 2 - Grécia, 4 pts (saldo de 1 / 25 gols pró); 3 – Austrália, 3 pontos (saldo de 1 / 24 gols pró); 4 - Hungria, 3 pts (saldo 0 / 30 gols pró); 5 – Sérvia, 2 pontos (saldo de - 1 / 27 gols pró); 6 - Japão, 0 pt. (saldo – 11 / 21 gols pró).

Grupo B = 1 – Itália, 6 pts (saldo de 5 / 26 gols pró);  2 – Espanha, 4 pts (saldo de 5 / 27 gols pró); 3 – Croácia, 4 pts (saldo de 3 / 15 gols pró); 4 - Montenegro, 2 pts (saldo de 1 /19 gols pró); 5 – EUA, 2 pts (saldo de 0 / 20 gols pró); 6 – França, 0 pt (saldo de – 9 / 15 gols pró).


Fotos: Vitor Silva/CBDA/SS Press

Próximos jogos da seleção brasileira: Grécia (Dia 12/8, 6ª feira, 19h30) e Hungria (Dia 14/8, domingo, 20h50, este já no Estádio Aquático). O outro grupo é constituído por EUA, Croácia, Espanha, Itália, França e Montenegro.

Seleção Brasileira: 1 - Slobodan Soro (goleiro) / 2 - Jonas Crivella / 3 - Rudá Franco / 4 - Ives Gonzales / 5 - Paulo Salemi / 6 - Bernardo Gomes / 7 - Ádria Delgado / 8 - Felipe "Charuto" Silva / 9 - Bernardo Reis Rocha / 10 - Felipe Perrone (capitão) / 11 - Gustavo "Grummy" Guimarães / 12 - Josip Vrlic / 13 - Vinícius Antonelli (goleiro). Técnico: Ratko Rudic / Auxiliares-técnicos: Ângelo Coelho e Eduardo Abla (Duda) / Preparador-físico: William Morales / Vídeo-analista: João Brandão / Chefe da equipe: Ricardo Cabral.

O Polo Aquático Brasileiro conta com recursos dos Correios - Patrocinador Oficial dos Desportos Aquáticos Brasileiros -, e ainda do Bradesco/Lei de Incentivo Fiscal, Lei Agnelo/Piva - Governo Federal - Ministério do Esporte, COB, Speedo e Estácio.




Eliana Alves / Souza Santos / Mariana de Sá