CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Pólo Aquático

17/01/2018 12:33:42

Inovação, celebração e planejamento: o ano de 2017 do Pólo Aquático do Brasil


Veja o balanço do ano do primeiro ano de inovação do Pólo Aquático no Brasil

Foto: CBDA/Divulgação Inovação, celebração e planejamento: o ano de 2017 do Pólo Aquático do Brasil
17/01/2018 12:33:42

(Rio de Janeiro, 17 de janeiro de 2017) O ano de 2017 tem muito a ser celebrado nos desportos aquáticos brasileiros de um modo geral. Única modalidade organizada por uma liga independente, mas ainda sim ligada à CBDA, o Polo Aquático não fica de fora das celebrações. A aproximação entre CBDA e Liga PAB plantou e colheu bons frutos ao longo do segundo semestre de 2017.

A começar pela Liga Nacional, competição que adotou formato inédito com primeira fase disputada em turno e returno de agosto a novembro. Nas finais do torneio masculino, disputadas em dezembro, destaque para o Sesi, que sagrou-se campeão em casa, já que os playoffs foram disputados na sede do próprio clube paulista, contra o Fluminense. Já no feminino, o Flamengo foi campeão ao bater o Pinheiros na decisão.

Já pensando no próximo ciclo olímpico Contratação do renomado Ricardo Azevedo, treinador da seleção norte americana por muito tempo, com passagem pela Itália e pela seleção chinesa nos Jogos Rio 2016, Rick Azevedo é o novo Supervisor Técnico de Polo Aquático da CBDA, responsável por Desenvolvimento e Seleções.

Rick Azevedo está desenvolvendo, dentre suas atribuições, a Escola Nacional de Polo Aquático, com base em benchmark internacional e apoio dos técnicos brasileiros, que certificará técnicos em diferentes níveis e Regiões para qualificar e padronizar o ensino da modalidade na formação de novos atletas, bem como para formar uma Comissão Nacional de Técnicos para conduzir futuras seleções.

O novo projeto de arbitragem, que prevê a formação de novos árbitros, um sistema de avaliação de árbitros em padrão FINA nas competições nacionais, e a reciclagem anual conduzida pelos melhores árbitros FINA do mundo. Em dezembro de 2017 a CBDA trouxe o renomado Adrian Alexandrescu, com vasto currículo em finais de Mundial e Jogos Olímpicos, quem ministrou uma clínica para os nossos árbitros, ajudou a avalia-los e atuou nas finais da Liga Nacional.

O ano de 2017 também teve inovação para as categorias de base. Foram realizadas, ao longo do ano, competições nacionais das categorias de base sub-13, sub-15, sub-17, sub-20, em parceria com a Liga PAB e apoio do CBC – Comitê Brasileiro de Clubes. Durante as competições, torneios regionais, com o apoio da CBDA, foram realizados e, nestes eventos, foram oferecidas clínicas de reciclagem e arbitragem.

Também durante 2017, foi realizada a Copa Integração no Distrito Federal, onde o Iate Clube de Brasília sagrou-se campeão, seguido pela Rede Cuca/Náutico e pelo Minas Brasília.

O Brasil também se destacou em competições internacionais de base, como no Sul-Americano Juvenil, realizado em Cali, na Colômbia. As equipes masculina e feminina foram campeãs, vencendo as seleções da Colômbia e Argentina. Já no Pan-Americano Juvenil de Lima, em julho, as equipes nacionais masculina e feminina conquistaram a prata, sendo derrotadas nas finais pelas respectivas seleções dos EUA.



Departamento de Comunicação - CBDA