Notícias

Brasil coloca mais 4 nadadores em finais

29/07/2009

Kaio fica a um passo da medalha


Roma – O dia foi ótimo para o Brasil. Os atletas brasileiros conquistaram mais quatro finais em três provas diferentes. Nos 100m livre, César Cielo e Nicolas Oliveira garantiram vaga entre os oito melhores do mundo, com o segundo (47s48) e quarto (47s78) tempos, respectivamente. O melhor desempenho coube ao francês Alain Bernard, 47s27, enquanto o sueco Stefan Nystrand, com 47s53, ficou entre os brasileiros.
Foto:
Nos 200m medley, sem o mito Michael Phelps, Thiago Pereira nadou tranquilo e visivelmente guardando gás para a final. Ainda assim, o brasileiro fez a sexta marca, 1m57s35, melhorando seu recorde sul-americano, que já quebrara nas eliminatórias, com 1m57s66. Ele sairá na raia sete amanhã (qui). Dois velhos conhecidos de Thiago dividiram a primeira colocação, com 1m55s18: o americano Ryan Lochte e o húngaro Lazslo Cseh, que nadaram na mesma série, lado a lado. Henrique Rodrigues terminou na 15ª posição, com 2m00s25.

Nos 50m costas, Fabíola Molina, aos 34 anos, se classificou com a 7ª melhor marca e novo recorde sul-americano, 27s70, melhorando ainda mais o tempo das eliminatórias da manhã, 27s94, quando quebrara a barreira dos 28 segundos. Fabíola, que era a mais velha entre as 16 semifinalistas, ficou empatada com a australiana Emily Seebohm. Depois de Fabíola, nascida em 1975, as duas mais velhas entre as finalistas são de 1984. As semifinais foram muito fortes, com dois recordes mundiais quebrados. Na primeira série, com a alemã Daniela Samulski, 27s39, e na segunda (a de Fabíola), com a russa Anastasia Zueva, um centésimo mais rápida, o que faz prometer uma final de tirar o fôlego.

E ainda teve a prova dos 200m borboleta, aquela em que Michael Phelps voltou a ser Michael Phelps. Mordido pela derrota e pela perda do recorde mundial nos 200m livre na véspera, o americano venceu com nova marca mundial, 1m51s51, e se tornou tetracampeão da prova, algo só feito por Grant Hackett, da Austrália, nos 1500m livre. Nos 200m borboleta, o paraibano Kaio Márcio “beliscou” o pódio, ao terminar em quarto lugar, com 1m54s27, num ataque final impressionante em que saiu da última posição nos primeiros 150 metros para a quarta colocação.

O Brasil participa do Mundial de Roma com o patrocínio dos Correios e recursos da Lei Agnelo/Piva.

Eliana Alves / Souza Santos

Compartilhar:

Patrocinadores