Notícias

Brasil ganha sete medalhas de ouro e bate cinco recordes

08/08/2002

A seleção brasileira de natação não deixou espaço para os adversários nas finais desta quarta-feira, 08/09, nos Jogos Desportivos Sul-Americanos, que estão sendo realizados em Belém, até amanhã 09/08. O Brasil conquistou sete medalhas de ouro, duas de prata e quatro de bronze e ainda superou cinco recordes da competição na prova masculina de 200m medley e nas femininas de 200m peito, 200m livre, 200m borboleta e 4x100m livre.


 


O domínio da equipe brasileira começou na segunda prova do dia, os 200m peito feminino, com a vitória de Marcelle Lopes, com 2m36s92. A disputa foi acirrada com a argentina Augustina Giovani que chegou em segundo, com 2m37s00.


 


Ana Carolina Muniz, que nos 400m livre terminara em terceiro lugar, se esforçou nos 200m do mesmo estilo e desta vez deixou para traz a argentina Cecília Biagioli, com a marca de 2m05s51. Cecília foi a segunda, com 2m07s23, e a peruana Marita Wong terminou em terceiro, com 2m08s37.


 


Nos 200m medley, Lucas Salatta mostrou mais uma vez porque é considerado um grande talento para o país. Com uma boa saída e excelentes viradas, ele impôs um ritmo forte desde o início e terminou em 2m05s51, pulverizando o recorde dos Jogos, 2m11s41, que pertencia ao nadador Diego Henao, da Venezuela, há oito anos. Na mesma prova, Alan Nagaoka, também do Brasil, ficou com o bronze, com 2m09s14.


 


Bárbara Jatobá fez cair o terceiro recorde do dia nos 200m borboleta, com 2m21s80. Esta também foi outra prova muito disputada, com a peruana Alicia Garcia terminando em segundo com 10 centésimos de diferença, 2m21s90. Ivi Monteiro foi a terceira colocada pela marca de 2m22s03.


 


E Ivi mal acabara de nadar os 200m borboleta e já estava fechando a equipe de 4x100m livre que venceu a prova e deixou o recorde anterior do time da Argentina de 1994, 4m05s22, há muitos segundos de distância. Amara Silva, Isabela Amblard, Talita Ribeiro e Ivi Monteiro fizeram 3m55s02.


 


Provas masculinas emocionantesDuas provas masculinas levantaram a arquibancada da Escola Superior de Educação Física – ESEF: 100m borboleta e50m livre. Na primeira, Wesley Mâncio conseguiu a liderança depois da virada dos 50 metros e foi seguido de perto pelo venezuelano José Cardona. Wesley chegou em primeiro com 56s66 e Cardona ficou em segundo com 56s92. Anderson Antônio foi o terceiro, com 57s60.


 


Os 50m livre foi uma disputa entre os donos da casa. Apenas dois centésimos separaram o ouro de Rodrigo Oliveira da prata do também brasileiro Antônio Paz Vielmo. Rodrigo, que nadava na raia número um, fez 24s00, e Vielmo marcou 24s02. Alberto Subirats, da Venezuela, ficou com o terceiro lugar, com 24s24. Vibrando muito, Rodrigo se mostrou espantado com o resultado.


 


- Claro que foi uma surpresa. Eu estava balizado com o penúltimo tempo! Vários fatores ajudaram como o público, o clima da competição e o apoio dos amigos e dos meus pais – disse.


 


A única prova não vencida por um brasileiro foi a de 1500m livre. Alejandro Gomez, da Venezuela, abriu uma piscina de diferença e ficou com o ouro, com 16m05s05. O Brasil fez prata e bronze, com Gustavo Taveira e Brunno Colosimo que fizeram, respectivamente, 16m27s91 e 16m44s21.



Natação – Quadro de Medalhas


 


06/08 – Terça-Feira




PAÍS


OURO


PRATA


BRONZE


TOTAL


BRASIL


05


03


01


09


ARGENTINA


01


01


01


03


CHILE


01


-


01


02


PERU


-


02


01


03


VENEZUELA


-


01


03


04


 


07/08 – Quarta-Feira




PAÍS


OURO


PRATA


BRONZE


TOTAL


BRASIL


05


04


03


12


ARGENTINA


01


-


02


03


CHILE


-


01


-


01


PERU


-


01


01


02


VENEZUELA


02


02


02


06


 


08/08 – Quinta-Feira




PAÍS


OURO


PRATA


BRONZE


TOTAL


BRASIL


07


02


04


13


ARGENTINA


-


02


01


03


CHILE


-


-


-


00


PERU


-


01


01


02


VENEZUELA


01


03


02


06


 




Mais informações: www.cob.org.br / www.brasil2002.org.br


Eliana Alves

Compartilhar:

Patrocinadores