A nova marca da CBDA é a marca dos Brasileiros nos Esportes Aquáticos

Notícias

Dia dourado para a natação brasileira

09/10/2004

O Brasil deu um show na piscina do Mundial de Indianápolis, na final deste sábado (09/10). Thiago Pereira e Nicholas dos Santos voltaram ao pódio do Conseco Fieldhouse, o primeiro para ganhar o ouro e segundo, o bronze. Thiago, que conquistara prata no 4x100m livre e o bronze no 4x200m do mesmo estilo, completa a coleção com o ouro nos 200m medley, com 1m55s78, um tempo que estabelece novo recorde sul-americano e que é muito próximo do  recorde de campenato mundial (1m55s45).

Embalado pelos gritos da torcida brasileira, Thiago fez tanto esforço que após a prova sentiu-se mal. Minutos depois, mais calmo e descansado mostrou a expressão de alívio e falou do emocionante ano de 2004.

- Sonhei com o ouro, mas não esperava fazer esse tempo. Foi tudo muito rápido. As coisas aconteceram numa velocidade grande e ainda estou vivendo os momentos deste ano maravilhoso. Só tenho a agradecer. Em março de 2003, quando disputava os Jogos Sul-Americanos Juvenis, em João Pessoa, nunca pensei que em um ano e meio seria finalista olímpico e campeão mundial. Esta medalha fecha tudo com chave de ouro. Aqui, ainda tenho os 100m medley, que acho que também posso brigar, depois vou tirar férias longas. Acho que mereço – desabafou.

O tunisiano Oussama Mellouli, vencedor dos 400m medley, desta vez foi bronze (1m56s23). O  americano Ryan Lochte ficou com a prata pelo tempo de 1m55s86. Lochte foi medalha de ouro nos  Jogos Olímpicos de Atenas, no 4x200m livre e subiu no lugar mais alto do pódio em Indianápolis na mesma prova.

Nicholas dos Santos marcou 21s71 e empatou com o americano Nick Brunelli na medalha de bronze. O inglês Mark Foster, de 34 anos, ganhou o ouro (21s58) e o sueco Stefan Nystrand ganhou a prata (21s66) . O argentino José Meolans, que lutava pelo bicampeonato, ficou em sétimo, com 21s78.

- Como eu sei que 50m livre é uma prova em que tudo pode acontecer, preferi abrir mão dos 50m borboleta para estar descansado. Dentro d′água, eu olhava para o Meolans e achava que estava muito atrás. Rodei o braço! – brincou Nicholas.

A subida de produção de Nicholas dos Santos nos últimos dois anos impressiona. No Mundial em Piscina Curta de Moscou, em 2002, ele terminou os 50m livre em 23º lugar, com 22s52. Em 2004, entrou na competição com o primeiro tempo do ranking mundial de junho a setembro, 21s32, o tempo só não aprece na lista porque foi homologado após o Troféu José Finkel, e chega a final da prova com o bronze, com 21s71.
 
A prova de 50m livre teve fortes competidores. O croata Duje Draganja foi premiado na Grécia com a prata nos 50m livre. O americano Jason Lezak este ano foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas no 4x100m medley e bronze no 4x100m livre. No último Mundial em Piscina Curta ele ganhou o ouro nas duas provas.

O sueco Stefan Nystrand foi quarto nos Jogos Olímpicos, o argentino José Meolans foi campeão mundial em 25m em 2002, seguido pelo inglês Mark Foster. Para finalizar, o argelino Salim Iles foi finalista em Atenas nos 50m livre e no Mundial de Moscou foi bronze nos 100m do mesmo estilo.

Kaio Márcio é o próximo candidato ao pódio em Indianápolis. Ele bateu o recorde sul-americano dos 50m borboleta, 23s22, nas semifinais e nada na noite de domingo (10/10) com o terceiro tempo da prova.
 
- Ainda posso melhorar na virada e reforçar e encaixar melhor a chegada. Sem dúvida o Ian Croker entra como favorito na prova, ele é recordista mundial e medalhista olímpico, mas sei que posso chegar entre os três primeiros – disse.
 
A seleção brasileira já tem medalhas de todas as cores (1 ouro, 1 prata e 2 bronzes), o que aumenta para  18 o número de premiações do país em Mundiais em Piscina Curta. No quadro geral em Indianápolis, as medalhas de Thiago e Nicholas fizeram o Brasil subir para quarto lugar, faltando apenas um pódio para encostar na Suécia que é terceira com cinco medalhas no total. Estados Undios e Austrália lideram, com 26 e 16 premiações, respectivamente.
 
O dia ainda teve o primeiro recorde mundial da competição, com a equipe australiana de 4x100m medley feminino que fez 3m54s95, superando os 3m55s78 que o time da Suécia marcou em 2002, no Mundial de Moscou.


Recordes Sul-Americanos e Brasileiros
9/10
Kaio Márcio – 50m borboleta (Semifinal) – 23s22
Thiago Pereira – 200m medley (Final) 1m55s78

Resumo
Sábado – 9/10 – Semifinais e Finais

100m livre feminino (Final) - 1º Lisbeth Lenton – Aus – 52s67 / 2º Josefin Lillhage – Sue – 53s56 / 3º Marleen Veldhuis – Hol – 53s88
200m costas feminino (Final) - 1º Margaret Hoelzer – Eua – 2m05s84 / 2º Tayliah Zimmer – Aus – 2m08s05 / 3º Melissa Ingram – Nzl – 2m08s54
50m borboleta masculino (Semifinal) – 3º Kaio Márcio – 23s22 (RS)
50m borboleta feminino (Final) – 1º Jenny Thompson – Eua – 25s89 / 2º Anna-Karin Kammerling – Sue – 26s02 / 3º Lisbeth Lenton – Aus – 26s53 
200m peito masculino (Final) – 1º Brendan Hansen – Eua – 2m04s98 (RC) / 2º Brenton Rickard – Aus – 2m08s34 / 3º Vladislav Polyakov – Caz – 2m08s36 
400m livre masculino (Final) – 1º Yuri Prilukov – Rus – 3m40s79 / 2º Chad Carvin – Eua – 3m43s77 / 3º Justin Mortimer – Eua – 3m44s70.
400m livre feminino (Final) – 1º Kaitlin Sandeno – Eua – 4m02s01 / 2º Sara Mclarty – Eua – 4m04s49 / 3º Sachiko Yamada – Jap – 4m04s64
50m livre masculino (Final) – 1º Mark Foster – Gbr – 21s58 / 2º Stefan Nystrand – Sue – 21s66 / 3º Nick Brunelli – Eua – e Nicholas Santos – Brasil – ambos com 21s71
100m medley feminino (Final) – 1º Brooke Hanson – Aus – 1m00s01 / 2º Shayne Reese – Aus – 1m00s92 / 3o Martina Moravcova – Esl – 1m00s95
200m medley masculino (Final) – 1º Thiago Pereira – Brasil – 1m55s78 (RS) / 2º Ryan Lochte – Eua – 1m55s86 / 3º Oussama Mellouli – Tun – 1m56s23
Revezamento 4x100m medley feminino (Final) – 1º Austrália  – 3m54s95 (RM) / 2º Estados Unidos – 3m55s68 / 3º Suécia – 4m01s76


Eliana Alves

Compartilhar:

Patrocinadores

Patrocinadores CBDA