A nova marca da CBDA é a marca dos Brasileiros nos Esportes Aquáticos

Notícias

Kaio, campeão do Brasil

06/04/2006

Xangai – Kaio Márcio Almeida não brincou em serviço. Na final desta quinta-feira, 06/04,  segundo dia de provas do 8º Mundial em Piscina Curta, ele entrou como sempre com a mochila nas costas, subiu no bloco e partiu para o ouro dos 100m borboleta marcando na chegada 51s07.

O recorde sul-americano, que é do próprio Kaio, é 50s62, feito em dezembro, no torneio Open, em Santos. Kaio estava ansioso para sua primeira final na China. A calma era só aparente. Seus nervos estavam à flor da pele.
 
- Estava muito nervoso. Agora tirei toda a adrenalina e estou muito feliz de ter conseguido ganhar essa medalha para o Brasil. Gostei do resultado e sei que poderia ter um tempo ainda melhor. A tensão bate porque esse é um campeonato importante, especial, e estamos em condições muito diferentes. Um fuso horário grande, a alimentação é completamente outra, enfim, são muitas coisas que influenciam no resultado. Hoje nado os 50m borboleta e preciso descansar para tentar fazer o meu melhor – disse Kaio.
 
A América do Sul foi bem representada na prova, pois Kaio teve a companhia do venezuelano Albert Subirats no degrau de prata (51s23). O americano Jayme Cramer ficou com o bronze (51s53). A prova estava mesmo para o brasileiro, que ganhou nove medalhas de ouro nas provas em que participou no Circuito da Copa do Mundo 2005/2006 e é dono do recorde mundial dos 50m borboleta (22s60).
 
- Foi maravilhoso. Sentimos que estamos cumprindo as etapas certas e as conquistas estão chegando. Ele poderia ter um tempo ainda melhor, mas estava mesmo nervoso e errou coisas básicas. Agora é manter a cabeça no lugar. Ainda temos os 50m e os 200m para disputar – disse o técnico Leo Arruda.
 
Recorde sul-americano -O Brasil teve um bom dia de finais em Xangai. Além da medalha de Kaio, o revezamento 4x200m livre foi quinto lugar (7m06s09), com melhora de seu próprio recorde sul-americano. O quarteto foi formado por Rodrigo Castro, César Cielo, Thiago Pereira e Lucas Salatta. O antigo recorde era de 7m06s64, que garantiu a medalha de bronze no Mundial de Indianápolis, em outubro de 2004.


E os velocistas Rebeca Gusmão, Nicholas dos Santos e Guilherme Roth entraram nas finais da noite desta sexta-feira, 07/04. Rebeca fez a sétima marca das semifinais (54s21) e vai disputar com algumas das melhores do mundo como a australiana Lisbeth Lenton, a holandesa Marleen Veldhuis e a sueca Hanna-Maria Sepala.
 
- Acho que ainda tenho espaço para melhorar. Errei na respiração, na virada, em alguns detalhes que fazem a diferença. Qundo saí da piscina, me senti mais inteira que nas eliminatórias – disse Rebeca.
 
A dupla “dos Santos”, Nicholas e Guilherme Roth, estará nas finais dos 50m  livre. Nicholas empatou em sexto com um americano de mesmo nome, Nicholas Brunelli. Ambos fizeram 21s91. Guilherme está na vaga de número oito, com 21s99.

Eliana Alves

Compartilhar:

Patrocinadores

Patrocinadores CBDA