A nova marca da CBDA é a marca dos Brasileiros nos Esportes Aquáticos

Notícias

Thiago bate recorde de ouros, reveza repete 99 e Gracielle é prata

22/10/2011

Guadalajara/MÉX – Um fim de noite quase que perfeita. Só faltou o índice olímpico da revelação Gracielle Herman, nos 50m livre, agora a apenas três centésimos. Mas com o talento demonstrado, isto é questão de tempo. Thiago superou finalmente o recorde de ouros de Hugo Hoyama, chegando às 12 douradas, com o bicampeonato dos 200m costas e por ter nadado as eliminatórias do reveza medley. E este fez história, com a segunda vitória pan-americana, depois do triunfo em Winnipeg/1999, no tempo dos mitos Gustavo e Xuxa.

Nos 200m costas, o menino de Volta Redonda/RJ bateu seus recordes brasileiro e dos Jogos Pan-Americanos, com 1m57s19. A marca nacional era de 1m58s07 do Troféu Maria Lenk deste ano. Já o recorde de campeonato era do Rio/2007, quando Thiago venceu em 1m58s42. A prata foi para o ainda recordista sul-americano, o colombiano Omar Pinzón, que chegou em 1m58s31, no único pódio de seu país na natação. A revelação americana, Ryan Murphy (16 anos) que bateu o recorde americano de até 15 anos, que pertencia ao atual recordista mundial, Aaron Peirsol, conquistou o bronze, com 1m58s50. Leo de Deus ficou em 5º lugar, 2m03s28.

- Finalmente terminou a semana, e estou feliz com o tempo, novo recorde. Não podia ter sido melhor – resumiu Thiago.

 O revezamento medley masculino foi integrado por Guilherme Guido no costas (55s08), Felipe França no peito (59s65), Gabriel Mangabeiro no borboleta (2m47s30) e Cesar Cielo no livre (3m34s58). O time repetiu a vitória histórica de 99 do quarteto formado por Alexandre Massura, Marcelo Tomazini, Fernando Scherer e Gustavo Borges. Agora, o Brasil conta com duas medalhas de ouro, três de prata e quatro de bronze no 4x100m medley masculino em Pans. Cesar Cielo sai do México com quatro ouros, melhor do que há quatro anos, quando conquistou três ouros e uma prata.

 – Foi bacana, dar o máximo e ganhar mais uma medalha para levar para o Brasil – disse Guido. Já Mangabeira disse que “trazer este ouro era a missão e a falta de medalhas na véspera nos 100m borboleta foi apagada. Agora é focar nas Olimpíadas”.

 Gracielle Herman, 19 anos, partiu pra cima como prometeu e conquistou a prata dos 50m livre. Se de manhã já havia feito o melhor tempo de sua vida, pulando de 25s81 para 25s28 e entrando no Top-40 dos melhores tempos do ano, na final fez ainda melhor, subindo para 25s23 (37º tempo do mundo em 2011), e ficando a três centésimos do índice olímpico para Londres/2012, 25s20. A vencedora foi a americana Lara Marie Jackson, 25s09, novo recorde dos Jogos. O anterior era de Arlene Semeco, vencedora de 2007, 25s14, e que agora, terminou em quinto, com 25s57.

- Tá muito bom, primeiro Pan, não posso reclamar de nada. Ganhei medalha e ainda fiz meus melhores tempos. O Brasil pode confiar, Londres vem aí, e no Rio/2016 quero dar orgulho ao Brasil – disse Gracielle, que ficou emocionada com os elogios recebidos por Flavia Delaroli, falando sobre o seu talento e que era disso que o Brasil precisava, “pois ela será melhor do que eu fui, e é o futuro da natação brasileira, pois eu paro no ano que vem”.

 O reveza medley quase beliscou a prata, perdendo na batida de mão para o Canadá. O Brasil foi representado por Fabíola Molina, Tatiane Sakemi, Daynara de Paula e Tatiana Lemos, que marcaram 4m07s12, apenas oito centésimos mais lentas do que as canadenses. As americanas venceram com novo recorde de campeonato, 4m01s00, o que já fizera nas eliminatórias da manhã, quando marcaram 4m04s52.

- Ganhar medalha sempre é bom, mas fiquei chateada por perder a prata na batida de mão. É duro, mas não deixa de ser uma conquista – disse Tatiana.

Thiago Pereira deixa Guadalajara com um total de 18 medalhas em Jogos Pan-americanos: Santo Domingo/2003 = um bronze nos 400m medley e uma prata nos 200m medley. Rio de Janeiro/2007 =  seis ouros (200m e 400m medley, 200m peito, 200m costas, 4x200m livre e eliminatórias do 4x100m livre; uma prata no 4x200m livre, e um bronze nos 200m peito. Guadalajara/2011 = quatro ouros (100m e 200m costas, 200m e 400m medley, e eliminatórias do 4x100m livre e 4x100m medley), uma prata no 4x200m livre, e um bronze nos 200m peito. A mesma performance do Rio de Janeiro.

Gustavo Borges permanece como o atleta com mais medalhas pan-americanas, num total de 19 (8 ouros, 8 pratas e 3 bronzes), em quatro edições dos Jogos: Havana/91, Mar Del Plata/95; Winnipeg/99 e Santo Domingo/2003.

O quadro de medalhas terminou com os EUA na liderança, seguido pelo Brasil:
1 – EUA = 43 (18-18-8) / 2 – Brasil = 24 (10-8-6) / 3 – Venezuela = 8 (1-1-6) / 4 – Canadá  = 4 (1-1-2) – 5 – Ilhas Cayman = 3 (1-1-1) / 6 – Chile = 2 (1-0-1) / 7 – Cuba = 2 (0-1-1) / 8 – Jamaica e Colômbia = 1 (0-1-0) / 10 – México = 4 (0-0-4) / 11 – Argentina = 2 (0-0-2) / 12 – Paraguai = 1 (0-0-1).

Além das 24 medalhas, a natação brasileira se despede de Guadalajara com quatro dos 16 recordes pan-americanos quebrados na competição. Cesar Cielo participou de três: nas finais dos 50m livre (21s58); dos 100m livre (47s84) e na do revezamento 4x100m livre, ao lado de Bruno Fratus, Nicolas Oliveira e Nicholas Santos (3m14s65). O último veio com Thiago Pereira nos 200m costas (1m57s19). E ainda manteve o domínio na natação masculina nos 50m livre (cinco vitórias consecutivas), do 4x100m livre e 200m costas (quatro títulos seguidos, cada um), fora os bicampeonatos nos 200m e 400m medley, e nos 200m borboleta.

Resultados – 7º dia (21/10/2011)
50m livre F = 1) Lara Jackson – EUA – 25s09  (recorde pan-americano) / 2) / Gracielle Herman – Brasil – 25s23  / 3) Madison Kennedy – EUA – 25s24 / 6) Flavia Delaroli – Brasil – 25s94

200m costas M = 1) Thiago Pereira – Brasil – 1m57s19 (recorde pan-americano)  / 2) Omar Pinzón – Colômbia – 1m58s31 / 3) Ryan Murphy – EUA – 1m58s50 / 5) Leonardo de Deus – Brasil – 2m03s28

4x100m medley F = 1) EUA (Rachel Bootsma, Ann Catherine Chandler, Claire Donahue e Amanda Kendall) – 4m01s00 (recorde pan-americano) /  2) Canadá (Gabrielle Soucisse, Ashley McGregor, Erin Miller e Jennifer Beckberger) – 4m07s04 / 3) Brasil (Fabíola Molina, Tatiane Sakemi, Daynara de Paula e Tatiana Lemos) – 4m07s12

4x100m medley M = 1) Brasil (Guilherme Guido, Felipe França da Silva, Gabriel Mangabeira e Cesar Cielo)  – 3m34s58 /  2) EUA (Eugene Godsoe, Marcus Titus, Christopher Brady e Douglas Robison) – 3m37s17 / 3) Argentina (Federico Grabich, Lucas Peralta, Marcos Barale e Lucas Del Piccolo) – 3m44s51



Souza Santos

Compartilhar:

Patrocinadores

Patrocinadores CBDA