CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Últimos destaques

03/04/2017 13:12:31

REGULAMENTO


***ATENÇÃO - O PROGRAMA DE PROVAS FOI ATUALIZADO EM 9/10 ****

FESTIVAIS CBDA/CORREIOS – SUL BRASILEIRO DE CLUBES

MIRIM I E MIRIM II, PETIZ I E PETIZ II 

2017

REGULAMENTO

CAPÍTULO I

DO FESTIVAL

Art. 1º -  Regulamentos do Festival Sul Brasileiro para a temporada 2016.

·  Festival CBDA/CORREIOS Sul Brasileiro de Clubes;

CAPÍTULO II

DAS FINALIDADES

Art. 2º - Pelas Associações localizadas na região Sul será realizado semestralmente o Festival acima citado, de acordo com o presente Regulamento e com as regras da FINA, tendo por finalidade desenvolver a natação nos estados localizados nesta região.

CAPÍTULO III

DA ORGANIZAÇÃO

Art. 3º - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA, delegará a Federação indicada para sede, à organização dos Festivais, desde que a mesma preencha os requisitos exigidos pelo presente Regulamento.

Art. 4º - As Federações indicadas para realizarem os Festivais deverão reunir as condições técnicas necessárias para promover este evento, inclusive dispor de piscina de 25 ou 50 metros de extensão, com oito (08) ou dez (10) raias, bem como arquibancadas de dimensões suficientes para a acomodação dos atletas e do público, sendo também indispensável uma piscina para aquecimento e iluminação adequada, equipamentos para os trabalhos de secretaria, ambulatório para primeiros socorros e ambulância UTI Móvel, ficando ainda ao seu encargo:

§ 1º - Possuírem equipamentos de cronometragem eletrônica e apuração de resultados (Placar Eletrônico, computadores com CBDAWEB instalado);

§ 2º - Disponibilizarem ponto de acesso à internet, instalada no interior da cabine de controle (Banda Larga), para transmissão de resultados em tempo real;

§ 3º - No caso de não estar presente um representante da CBDA para a transmissão de dados, informar no máximo até 72h(Setenta e duas horas) antes do início da competição o nome, e e-mail do representante local;

§ 4º - As Federações Organizadoras deverão apresentar declaração à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos responsabilizando-se pelas condições exigidas no presente Artigo.

§ 5º - No primeiro sem ester quando da realização em piscina de 25 metros a competição poderá ser realizada em piscina de 50 metros na sua largura e sera acrescida a prova de 100 metros medley para as classes Mirim I e Mirim II;

§ 6º – De acordo com o Congresso Técnico realizado na cidade de Caxias do Sul/RS no dia 03/05/2002, haverá duas (02) partidas para as classes Mirim I e Mirim II e apenas uma (01) partida para as classes Petiz I e Petiz II;

Art. 5º - Dois (02) meses antes da data fixada para a realização dos Festivais, as Federações Organizadoras deverão remeter à CBDA uma lista de hotéis com as respectivas tabelas de preços para conhecimento das Associações participantes dos Festivais.

§ ÚNICO - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos disponibilizará no seu site através de boletim esta relação dos hotéis.

CAPÍTULO IV:

DA PROGRAMAÇÃO

Art. 6º - Os programas de provas dos Festivais estão anexos a este Regulamento.

Art. 7º - A Federação organizadora dos Festivais deverá preparar os programas de provas, de acordo com as inscrições feitas pelas Associações. Após o termino do prazo de inscrição a federação deverá disponibilizar no seu site.

§ 1º - As provas do Torneio serão disputadas em três dias e quatro (04) etapas.

§ 2º - Os horários deverão ser estabelecidos pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA e pelas Federações Organizadoras;

§ 3º - As provas serão disputadas em Final Direta;

§ 4º - De acordo com a Regra da FINA – SW 3.1.1, os tempos dos nadadores tem a validade de doze (12) meses anteriores à data final de inscrição no Festival.

CAPÍTULO V:

DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

Art. 8º - Para a classificação dos nadadores participantes dos Festivais, será observado o critério adotado pela CBDA, de acordo com o Boletim já expedido, especificando as classes e anos de nascimento dos atletas.

§ 1º - Os Festivais são abertos a nadadores devidamente registrados em suas federações e que por ocasião das inscrições, satisfaçam a todas as exigências em vigor emanadas da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA, inclusive as Normas de Transferência de atletas dos Desportos Aquáticos;

Art. 9º - Os nadadores participantes poderão disputar as provas individuais em que estiverem inscritos e, também, as provas de revezamento, com limite máximo de três (03) provas individuais, sendo que no máximo duas provas individuais por etapa e mais os revezamentos.

Art. 10º - Participarão dos Festivais os nadadores inscritos que apresentarem documentos de identidade atualizados, fornecidos pelas Federações a que estejam vinculadas ou da CBDA e dos quais constem fotografia, data de nascimento e a Associação ou Clube a que pertencem.

§ ÚNICO - Em hipótese alguma, tomará parte dos Festivais o nadador que não estiver munido de seu documento de identidade e, devidamente cadastrado na CBDA, para a temporada do ano em curso.

Art. 11º - Poderão participar dos Festivais os nadadores que, na ocasião da inscrição, satisfaçam a todas as exigências em vigor emanadas da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA, inclusive as Normas de Transferência de Atletas de Desportos Aquáticos.

Art. 12º - As Associações ou nadadores não poderão participar dos Festivais de outra região que não seja a sua, mesmo como convidado. Quando não for realizado o Festival na sua região, as Associações ou nadadores poderão participar a sua livre escolha de Festivais de outras regiões, com todos os direitos de pontuação e premiações.

CAPÍTULO VI:

DOS ÍNDICES DE PARTICIPAÇÃO

Art.13º - Nos Festivaisnãohaveráíndice de participação.

CAPÍTULO VII:

DAS INSCRIÇÕES EM PROVAS INDIVIDUAIS

Art.14º - Para participarem dos Festivais, as Associações deverão fazer as suas inscrições até quinze (15) dias antes do início da competição. E o pagamento das respectivas inscrições até doze (12) dias antes do início da competição impreterivelmente.

§ 1º - Cada Associação poderá inscrever quantos atletas por prova individual e quiserem;

§ 2º - Nos Festivais o limite de provas em que o atleta pode ser inscrito é de (03) três provas individuais, sendo no máximo (02) duas provas individuais por etapa;

§ 3º -  Os nadadores só poderão competir na classe a que pertença;

.

§ 4º - O valor da taxa de inscrição será a mesma utilizada pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA, para as provas individuais e revezamento;

Art.15º - Todos os cortes deverão ser feitos em até 72 (setenta e duas) horas antes do início do Congresso de Abertura, através de área específica dentro do portal da CBDA, no mesmo local ande são realizadas as inscrições da competição. A partir de 72 (setenta e duas) horas, o sistema não aceitará mais cortes.

§ 1º - Não serão mais aceitos cortes por qualquer outro meio de comunicação, tais como o e-mail [email protected], telefone, fax), a não ser pelo sistema pela pessoa devidamente habilitada.

 

CAPÍTULO VIII:

DAS INSCRIÇÔES EM PROVAS DE REVEZAMENTOS

Art. 16º - Cada Associação participante poderá inscrever até duas equipes de revezamento por prova de acordo com a decisão do Congresso Técnico realizado em 24/05/2013 na cidade de Blumenau/SC.

§ 1º - As equipes de revezamento que não tiverem resultados obtidos nas competições da CBDA ou em competições estaduais que constem no Calendário serão considerados como os mais lentos e balizados aleatoriamente pelo sistema;

Art. 17º - Os revezamentos deverão ser confirmados pelas Associações participantes, com a entrega das fichas de nado preenchidas com os nomes dos atletas e números dos códigos de registro na CBDA.

§ 1º - Após a entrega das fichas de nado, só será permitido à substituição do nadador com apresentação do atestado médico e sem alterar a sequência colocada anteriormente;

§ 2º - De acordo com a regra da FINA SW 10.12, as substituições nos revezamentos após a entrega das fichas de nado, só poderão ser realizadas em caso de emergência médica. Ficará a critério da direção da CBDA a indicação do médico responsável na competição;

CAPÍTULO IX:

DA PARTICIPAÇÃO NAS FINAIS

Art. 18º -  As provas serão realizadas em Final Direta.

Art. 19º - Quando o atleta for desclassificado pelo Árbitro Geral em qualquer fase por “má conduta”, não poderá nadar nenhuma prova naquela etapa, inclusive revezamento.

CAPÍTULO X:

DAS PONTUAÇÔES

Art. 20º - As contagens de pontos nos Festivais serão feitas para as classes Mirim I, Mirim Il, Petiz I, Petiz II.

Art. 21º – A contagem será: 18, 16, 15, 14, 13, 12, 11, 10, 09, 07, 06, 05, 04, 03, 02, 01 pontos para os 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º, 9º, 10º, 11º, 12º, 13º, 14º, 15º e 16º lugares respectivamente, sendo que nos revezamentos a contagem seráem dobro para todas as colocações.

§ 1º - Havendo empate na contagem de pontos para as classes. O desempate sera feito verificando o maior numero de primeiro lugar na classe em que estiver ocorrendo o empate, caso continue o empate sera verificada a colocação subsequente ate que se desfaça o empate.

§ 2º - Havendo empate na contagem geral de pontos. O desempate sera feito verificando o maiornumero de primeiro lugarto das as provas, caso continue o empate sera verificada a colocação subsequente ate que se desfaça o empate.

CAPÍTULO XI:

DAS MEDALHAS

Art. 22º - Ao final será elaborado também uma classificação pelo número de medalhas (Ouro, Prata e Bronze) obtidas pelas Associações participantes destes Torneios. Da mesma forma que é utilizada nos Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais. Este relatório será colocado no site da Federação Organizadora e da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos-CBDA.

§ 1º - Os nadadores classificados em 1º, 2º e 3º lugares nas provas individuais e nos revezamentos, receberão medalhas de ouro, prata e bronze, respectivamente. Os nadadores classificados do 4º ao 8º lugares nas provas individuais receberão medalhas alusivas.

§ Único - Não haverá solenidade para a entrega das medalhas. Os nadadores que fizerem jus às medalhas deverão recebê-las 30 (trinta) minutos após o anúncio oficial do término da prova, diretamente da Comissão encarregada da premiação.

CAPÍTULO XII:

DAS BONIFICAÇÔES

 Art. 23º - Nos Torneios não existe bonificação.

CAPÍTULO XIII:

DAS PREMIAÇÕES EM PROVAS INDIVIDUAIS

Art. 24º - Serão oferecidas ainda, medalhas de vermeil, prata e bronze, para os nadadores classificados, respectivamente, em 1º, 2º e 3º lugares em cada prova.

§ 1º - É obrigatória a presença do atleta na cerimônia de premiação quando chamado, devidamente uniformizado, sendo passível de punição caso assim não o faça, cabendo à autoridade designada pela CBDA tomar as devidas providências.

CAPÍTULO XIV:

DOS ÍNDICES TÈCNICOS

Art. 25º - Nos Festivais não tem premiação de Índice Técnico.

CAPÍTULO XV:

DAS EFICIENCIAS

Art. 26º - Nos Festivais não tem premiação de Eficiência.

CAPÍTULO XVI

DAS PREMIAÇÕES DE ASSOCIAÇÕES

Art. 27º - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos- CBDA e a Federação organizadora oferecerão:

§ 1º - Nos Festivais as premiações serão a seguinte:

·  Troféu ou Taça ao Campeão, Vice Campeão e Terceiro Colocado – Mirim I;

·  Troféu ou Taça ao Campeão, Vice Campeão e Terceiro Colocado – Mirim II;

·  Troféu ou Taça ao Campeão, Vice Campeão e Terceiro Colocado – Petiz I;

·  Troféu ou Taça ao Campeão, Vice Campeão e Terceiro Colocado – Petiz II;

CAPÍTULO XVII:

DAS MULTAS

Art. 28º - Nos Festivais não tem a cobrança de multas.

CAPÍTULO XVIII

DA DIREÇÃO

Art. 29º - A direção dos Festivais caberá à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, através de seus membros e com a estreita colaboração da Federação Organizadora;

Art. 30º - O Árbitro e o Árbitro de Partida serão escalados pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos e os demais membros do quadro de arbitragem serão indicados pelas Federações Organizadoras, com prévio conhecimento e aprovação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.

Art. 31º - Os casos omissos serão resolvidos no Congresso, obedecendo-se sempre às Leis da FINA, com exceção dos casos disciplinares e administrativos, que serão julgados pela autoridade designada pela CBDA, que aplicará as puniçõesde acordo com a instrução Normativa nº 01/2001 de 15 de janeiro de 2001.

CAPÍTULO XIX

DAS DATAS E LOCAIS

Art. 32º - Os Torneios serão realizados em locais escolhidos em votação feita entre as Associações no congresso do ano anterior e serão realizados anualmente. A escolha será sempre respeitando os critérios anteriores estabelecidos neste regulamento.

Art. 33º - Caberá à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA colocar em seu Calendário de natação as datas e locais destas competições, a serem disputada no ano seguinte.

CAPÍTULO XX

DO CONGRESSO

Art. 34º - Antes da competição, os representantes devidamente credenciados pelas Associações participantes, deverão reunir-se nos Congressos, sob a presidência de dirigente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA e com a presença de um membro das Federações Organizadoras, para tratarem de assuntos relacionados com os Torneios e eventualmente, com a Natação Brasileira.

§ 1º - Destes Congressos somente participará com direito a voto um (01) representante de cada Associação desde que credenciado para tal fim, devendo constar plenos poderes para representar a Associação no Festival;


§ 2º - Os Presidentes dos clubes e proprietários de Escolas de Natação e Academias deverão apresentar as suas credenciais;

Art. 35º - As Federações Organizadoras promoverão, paralelamente, sob a direção da CBDA, Congresso eminentemente Técnico, cujas propostas ou resoluções apresentadas e subscritas pela maioria dos técnicos congressistas, um (01) por Associação, deverão ser encaminhadas ao Conselho Técnico da CBDA.

§ ÚNICO - Estes Congressos Técnicos deverão contar sempre com a presença de um (01) representante das Federações Organizadoras e um (01) representante da CBDA e será realizado logo após o término do Congresso de Abertura;

Art. 36º - As propostas de que trata o artigo anterior, que modifiquem o atual Regulamento, serão levadas à apreciação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA, que posteriormente, as referendará ou não, comunicando às Federações filiadas, pelo menos, seis (06) meses antes das datas marcadas para a sua próxima disputa.

CAPÍTULO XXI

DAS DESPESAS

Art. 37º - As despesas de transporte, hospedagem e alimentação, serão de inteira responsabilidade das Associações participantes.

CAPÍTULO XXII

Data

Local

Mirim 1

Mirim 2

Petiz 1

Petiz 2

XV

05/2000

Foz do Iguaçu/PR

C.E.R.Atlântico/RS

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XVI

10/2000

Curitiba/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XVII

05/2001

Blumenau/SC

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

XVIII

10/2001

Florianópolis/SC

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

XIX

05/2002

Caxias do Sul/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XX

11/2002

Porto Alegre/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXI

05/2003

Foz do Iguaçu/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXII

10/2003

Curitiba/PR

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXIII

05/2004

Florianópolis/SC

G.N.União/RS

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

XXIV

10/2004

Florianópolis/SC

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXV

05/2005

Porto Alegre/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXVI

10/2005

Porto Alegre/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXVII

05/2006

Cascavel/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXVIII

10/2006

Paranaguá/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXIX

05/2007

Blumenau/SC

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXX

10/2007

Florianópolis/SC

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXXI

05/2008

Caxias do Sul/RS

São Bento

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXXII

10/2008

Porto Alegre/RS

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXXIII

05/2009

Foz do Iguaçu/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

XXXIV

10/2009

Curitiba/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

XXXV

05/2010

Blumenau/SC

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XXXVI

10/2010

Florianópolis/SC

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XXXVII

05/2011

Porto Alegre/RS

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

XXXVIII

09/2011

Porto Alegre/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XXXIX

05/2010

Foz do Iguaçu/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XL

10/2012

Curitiba/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XLI

05/2013

Blumenau/SC

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XLII

10/2013

Florianópolis/SC

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

G.N.União/RS

XLIII

05/2014

Porto Alegre/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

XLIV

10/2014

Porto Alegre/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

Cl.Curitibano/PR

G.N.União/RS

XLV

05/2015

Foz do Iguaçu/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XLVI

10/2015

Curitiba/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XLVII

05/2016

Blumenau/SC

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

XLVIII

10/2016

Florianópolis/SC

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

Cl.Curitibano/PR

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 38º - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos – CBDA poderá sempre que julgar necessário, alterar o presente Regulamento.

Art. 39º - Revogam-se as disposições em contrário.

Obs.:

-  A contagem de pontos passou a ser consignada a partir do XV Festival, emmaio de 2000.

-  A partir de 2004, o Estado de Mato Grosso do Sul passou a fazer parte da RegiãoSul, semdireito a realizar o evento, e a partir de 2007, retornou a Região Centro-Oeste.

PROGRAMA DE PROVAS SUL BRASILEIRO

MIRIM 1 e 2 // PETIZ 1 e 2

<<< 2017>>>


I ETAPA

II ETAPA

III ETAPA

IV ETAPA

400 L Mirim

200 MD Petiz

100 L Petiz 

200 L Petiz 

400 L Petiz 

200 MD Mirim

100 L Mirim

50 B Mirim

50 L Mirim

50 P Petiz

50 C Petiz 

50 B Petiz

50 L PETIZ

50 P Mirim

50 C Mirim

100 C Petiz

---

100 B Petiz

100 P Petiz

4 X 50 MD Misto Mirim

---

4 X 50 L Mirim

4 X 50 L Misto Mirim

4 X 50 MD Misto Petiz

---

4 X 50 L Petiz

4 X 50 MD PETIZ

---




REVEZAMENTOS MISTOS

(2 ATLETAS FEMININOS  e 2 ATLETAS MASCULINOS )

NÃO IMPORTANDO A ORDEM

MIRIM 1 - EQUIPES "A" - "B" - "C"  PARA CADA SEXO

MIRIM 2 - EQUIPES "A" - "B" - "C"  PARA CADA SEXO

PETIZ 1  - EQUIPES "A" - "B"  PARA CADA SEXO

PETIZ 2  - EQUIPES "A" - "B"  PARA CADA SEXO

Legenda:

B – BORBOLETA  C – COSTAS  P – PEITO  L – LIVRE  MD - MEDLEY